quarta-feira, 21 de abril de 2010

Secretário da Saúde considera residuais os casos de desumanização por parte dos médicos



O Secretário Regional da Saúde assegurou hoje, na Horta que são residuais os casos de desumanização médica no Serviço Regional de Saúde.

Miguel Correia fez esta afirmação na Assembleia Legislativa Regional, na sequência da denúncia, por parte do deputado Artur Lima, do CDS/PP, de algumas situações de tratamento desumano nas unidades de saúde do arquipélago.

Na ocasião, o governante esclareceu que as situações descritas “são inaceitáveis” também para o Governo e pediu ao deputado que lhe fizesse chegar esses casos para que os mesmos “possam ser corrigidos”.

De qualquer forma, sublinhou Miguel Correia, a maioria dos médicos “não é assim, não é desumana e não faz parte de uma corrente desumana”.

O Secretário Regional da Saúde disse ainda que devemos “relativizar” essas situações, já que “não podemos generalizar e dizer que este comportamento de desumanidade se estende a toda a classe médica”.

“Acho que os doentes também sentem isso”, referiu Miguel Correia, adiantando que “não têm sido poucos os elogios que tenho recebido de doentes que terminam o seu internamento e elogiam a dedicação dos médicos”.

Quanto à rede de cuidados continuados e paliativos, o Secretário Regional da Saúde disse que essa rede, que constitui um objectivo do Governo, “está a ser consolidada” nos Açores.

“Temos agora um acordo com a Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada para mais 15 camas de cuidados continuados, cinco das quais serão, por nossa proposta, de cuidados paliativos”, lembrou o governante.

Além do mais, concluiu o governante, nas ilhas onde não existe hospital temos internamentos, que na verdade são cuidados continuados, em todos os centros de saúde.


GaCS/FG

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário