terça-feira, 27 de abril de 2010

Governo quer introduzir “psicologia do tráfego” aos condutores desrespeitadores do Código da Estrada



“Com o Código da Estrada não se brinca”. Esta vai ser a mensagem central da nova campanha de prevenção rodoviária apresentada hoje, Dia Europeu da Segurança Rodoviária, em Ponta Delgada, pelo Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos.

A matriz da campanha publicitária de prevenção assenta num estilo inovador, abrangente e conhecedor do desrespeito das normas do Código da Estrada dos condutores, incentivando-os à mudança de comportamentos através do receio provocado pela inibição de conduzir.

Frases como “Tens direito a um prémio por seres o condutor mais rápido: 6 meses sem carta por excesso de velocidade”, entre outras, vão percorrer as ilhas e chegar aos açorianos. A linha de argumentação da campanha destaca o lado punitivo e coercivo do Código da Estrada, a fim de acabar com o sentimento de impunidade, ao mesmo tempo que informa sobre as sanções resultantes do desrespeito das normas do Código.

“Queremos que nos Açores se introduza esta cultura de prevenção e segurança que pode e deve ser uma marca dos Açores. Queremos ser reconhecidos por mais este factor positivo a nível nacional e europeu. Neste sentido, reafirmo a nossa firme intenção de continuar a trabalhar para que as estradas açorianas sejam seguras e tenham cada vez menos acidentes”, desafiou José Contente na cerimónia de apresentação da campanha.

O Secretário Regional relembrou o forte investimento que o Governo dos Açores, ao qual se têm associado outras entidades públicas, ao nível da prevenção rodoviária, na promoção de campanhas de prevenção e na melhoria constante das infra-estruturas rodoviárias, nomeadamente diminuindo os pontos críticos das estradas, melhorando a sinalização e garantindo melhores condições de segurança aos condutores.

Estes factores têm contribuído para que ao longo dos últimos anos o índice de sinistralidade nos Açores tenha melhorado significativamente, com menos 167 acidentes, menos 9 feridos graves e ligeiros, 134, e menos mortes, dados comparativos da sinistralidade de 2008 e 2009.

A propósito destes indicadores, José Contente acrescentou que “mesmo com o aumento do número de veículos, com a melhoria dos pisos que também faz aumentar a velocidade, há aqui um ganho, uma melhoria do índice de sinistralidade rodoviária, um exemplo para o país e também a nível europeu”.

De acordo com o governante, a tutela prepara-se para avançar, a nível regional, com a aplicação da chamada “psicologia do tráfego”, prevista na legislação, ou seja, anunciou, “os condutores que sofrem infracções poderão substitui-las por acções de formação dentro dos parâmetros que a lei já permite. A Prevenção Rodoviária Açoriana tem um papel importante nesta área e há infracções e penalizações que podem e devem ser substituídas por acções de formação e com mais ganhos globais se essas acções forem eficazes na mudança de atitudes e mentalidades dos condutores”.

Neste sentido José Contente lançou um repto às escolas de condução para que se associem a este tipo de iniciativas, promovendo uma cultura de prevenção rodoviária mais eficaz junto de futuros condutores.

“Continuamos a apostar em campanhas de prevenção, no caso da que apresentamos hoje ela assenta em critérios de inovação e numa perspectiva agregadora para continuarmos a chamar a atenção das pessoas para mudarem os comportamentos desrespeitadores do Código da Estrada e assim contribuírem para a redução de todas as cifras da sinistralidade”, apelou o governante.

O Secretário Regional deixou ainda um voto de confiança no êxito da campanha “Com o Código da Estrada não se brinca”, elogiando os criativos da empresa regional HDG Açores pela criatividade e sensibilidade que dedicaram ao projecto.

A campanha de prevenção rodoviária arranca já durante o início do mês de Maio nos jornais, televisão, rádio, em outdoors, folhetos e material a ser distribuído pelos condutores, sobretudo em locais de diversão nocturna, como alcoolímetros.



GaCS/VS

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário