quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

A Furna do Enxofre acolhe presépio ao vivo no sábado

A Furna do Enxofre da Graciosa acolhe pela primeira vez um presépio ao vivo, no sábado, um evento de acesso gratuito que vai contar com a atuação de um coro infanto-juvenil.
 

“Estamos agora na época de Natal e tivemos a ideia de fazer um presépio no interior da furna”, afirmou Madalena Picanço, do Centro Interpretativo da Furna do Enxofre à agência Lusa, acrescentando que o evento decorrerá entre as 14:30 e as 16:00 (mais uma hora em Lisboa).
A Furna do Enxofre, com um comprimento de 194 metros e cerca de 50 metros de altura de teto em forma de abóbada na parte central, começou a ser explorada no século XIX por vários investigadores, entre os quais o príncipe Alberto I do Mónaco, e os naturalistas Ferdinand André Fouqué e Georg Hartung.
O acesso ao interior da gruta, onde também existe um lago, faz-se por uma torre de cantaria e alvenaria com 37 metros de altura, que contém uma escada em caracol com 183 degraus, acesso cuja construção foi concluída em 1939.
Madalena Picanço, técnica no parque natural da Graciosa, referiu que estará representado no interior da furna o quadro do nascimento de Jesus, com “aproximadamente dez pessoas como figurantes”.
A responsável adiantou que esta iniciativa, que decorrerá junto às fumarolas dentro da furna, vai contar com a colaboração da Pastoral Juvenil da Graciosa, ao nível do guarda-roupa.
A acompanhar o presépio ao vivo estará o coro infanto-juvenil de São Mateus, um grupo que já atuou no interior da furna e regressa agora de “forma voluntária para cantar algumas músicas de Natal”.
“É uma novidade. Nunca se fez e ao mesmo tempo podem ouvir um concerto no interior da furna que, devido à sua acústica, é muito interessante”, considerou Madalena Picanço, revelando que anualmente o local recebe uma média de cinco mil visitantes, com entradas pagas (3,5 euros por bilhete).
Por norma, dentro da furna não podem estar mais que 30 pessoas.
O espaço é diariamente monitorizado por aparelhos da Universidade dos Açores para aferir o nível de concentração de dióxido de carbono. Quando é excedido o limite legal, obriga a encerrar o acesso ao interior da gruta.
Para o próximo ano estão já a ser equacionadas novas atividades para a Furna do Enxofre, tendo Madalena Picanço destacado uma descida em rapel à gruta, com apoio dos bombeiros locais, “algo que já não acontece há três anos e que na altura se revelou um sucesso”.

Fonte: acorianooriental.pt
Publicado por: George Correia

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Mensagem de Natal do Presidente do Governo dos Açores

Estamos a festejar mais um Natal!

Um momento que, para muitos, é de festa no conforto dos seus lares e do afeto daqueles que lhes são próximos, mas que não nos deve fazer esquecer que, para muitos Açorianos, esta quadra ainda é ofuscada pelas vicissitudes que a vida, por vezes, nos traz.

É a essas Açorianas e a esses Açorianos que me quero dirigir em primeiro lugar.

Aos que sofrem por razões de doença ou pelos flagelos que a sociedade atual impõe, como o desemprego ou a solidão, como Presidente do Governo, quero deixar-vos uma palavra de Amizade, de Afeto e de Carinho.

Mas, sobretudo, quero dizer-vos que não estão sós nem estão esquecidos.

Continuamos a trabalhar, com determinação, com o melhor do nosso saber e com ambição, para que, até ao limite dos nossos recursos e até ao limite das nossas competências, possamos construir uns Açores melhores para aqueles que aqui vivem, uns Açores melhores para os nossos filhos, uns Açores melhores para as gerações que nos hão-de seguir.

Sabemos bem que temos vivido tempos desafiantes, tempos que têm sido particularmente duros e exigentes para a generalidade das famílias Açorianas.

Para fazer face a essa tormenta que atravessámos, mobilizámos tudo o que estava ao nosso alcance para defender as famílias Açorianas, para defender as empresas Açorianas, para defender os nossos Açores.

Neste ano que agora está a terminar, baixámos os impostos, baixámos o preço das passagens aéreas, lançámos obras em estradas, portos, centros de saúde, escolas e creches, entre muitas outras.

Com os Açorianos, com as famílias, com as empresas, com os trabalhadores dos Açores, pudemos construir o caminho que nos fará ultrapassar esta tormenta e voltarmos a ter mais emprego, mais progresso e mais desenvolvimento.

Os sinais que vamos conhecendo, se é certo que nos dizem que estamos no caminho certo, também nos dizem que ainda temos muito a fazer, muito a melhorar, muito a construir.

Mas não desanimamos nem esmorecemos!

Mesmo quando a natureza nos quer testar, como ainda há alguns dias aconteceu, aqui estamos, e aqui estaremos, para fazermos do desânimo, esperança, da adversidade, força, da luta, vitória.

E é esta capacidade de nos superarmos no dia-a-dia, que também nos define como Povo, como o Povo Açoriano.

Aos muitos desafios que ainda temos para vencer, teremos sempre de responder com a Confiança e com a Esperança.

Com a Confiança que temos nos resultados do trabalho que fizemos ao longo destes três anos de mandato: o que tivemos de enfrentar, o que tivemos de ultrapassar, o que tivemos de vencer e vencemos nos mais variados domínios da atividade dos nossos Açores.

Mas também com a Esperança que resulta do facto de estarmos conscientes do que ainda falta fazer, mas, sobretudo, com a Esperança que resulta de sabermos como faremos o que nos falta.

 Em suma, a Confiança e a Esperança de quem sabe que, nesta terra, somos nós, Açorianos, que definimos o nosso futuro, que agarramos o destino com as nossas próprias mãos e o moldámos para o entregar aos nossos filhos.

Em meu nome, em nome da minha família, e em nome do Governo dos Açores, desejo a todas as Açorianas e Açorianos, estejam em cada uma das nossas ilhas ou na imensa Diáspora espalhada pelo Mundo, um Santo e Feliz Natal e um Ano Novo repleto de sucessos.

Boas Festas para todos!

Anexos:
2015.12.22-PGR-MensagemNatal.mp3

GaCS

Publicado por: George Correia

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Presidente da Câmara, Manuel Avelar, deixa mensagem de natal aos graciosenses

Manuel Avelar, Presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa, deixa mensagem de Natal aos graciosenses:







Da autoria de Tiago Correia, TC.F Informação

Publicado por: George Correia

sábado, 12 de dezembro de 2015

Campanha SOS Cagarro 2015 salvou cerca de 5.000 juvenis

O Diretor Regional dos Assuntos do Mar revelou que a Campanha SOS Cagarro 2015 permitiu devolver ao mar 4.951 juvenis, o que representa mais 2.100 aves do que no ano passado. 

“O aumento do número de cagarros salvos pode significar que este ano houve mais casais a nidificar na Região”, frisou Filipe Porteiro.

A Campanha SOS Cagarro realiza-se, desde 1995, entre 15 de outubro e 15 de novembro, tendo sido este ano prolongada por mais cinco dias devido à saída tardia dos juvenis dos ninhos.

Esta iniciativa, que tem como um dos principais objetivos envolver pessoas e entidades no salvamento dos cagarros juvenis, contou nesta edição com a participação de 255 entidades parceiras e mais de 4.600 voluntários em ações de campo.

“O empenho e a participação de voluntários e dos parceiros foi, mais uma vez, exemplar e decisiva para o sucesso da maior e mais antiga campanha pública de conservação da natureza do país”, frisou o Diretor Regional.

A Campanha SOS Cagarro tem duas vertentes, nomeadamente a Educação Ambiental e a Conservação da Natureza.

Na vertente de Educação Ambiental foram desenvolvidas exposições, pintura de murais, percursos pedestres, sessões em escolas e sessões de informação durante a anilhagem e libertação de cagarros junto à costa, para além de ações conjuntas com a PSP, a GNR e os Escuteiros para a sensibilização dos condutores.

Relativamente à vertente da Conservação da Natureza, foram organizadas brigadas noturnas de salvamento de cagarros em todas as ilhas e colocadas placas de sinalização em estradas.

Procedeu-se também à recuperação de aves feridas e a uma campanha de anilhagem para promover o estudo da ecologia da espécie e a sua dinâmica comportamental que levará estas aves a regressarem aos Açores.

Na campanha deste ano foram também registados 226 cagarros mortos, salientando Filipe Porteiro que algumas dessas aves foram "recolhidas e conservadas" para estudo, de forma a "perceber se esta ave é afetada de alguma forma pelo lixo marinho”.

Filipe Porteiro recordou que “o cagarro é uma espécie protegida por legislação regional e por convenções internacionais”, salientando que se pretende com esta campanha que os cagarros juvenis façam “a sua migração de milhares de quilómetros para as zonas de invernagem no hemisfério sul" e possam "um dia regressar às suas ilhas de origem, quando adultos, para se reproduzirem”.

A Campanha SOS Cagarro é promovida pela Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, através da Direção Regional dos Assuntos do Mar, sendo operacionalizada pela Direção Regional do Ambiente, através dos Parques Naturais de Ilha e da Azorina.

Durante a campanha deste ano, tal como em edições anteriores, procedeu-se à redução da iluminação pública em locais identificados como sendo mais críticos em poluição luminosa, nomeadamente estradas, campos de futebol e portos.

Esta ação contou com a colaboração de câmaras municipais, da EDA e da Portos dos Açores.



GaCS

Publicado por: George Correia

O Museu da Graciosa promove domingo, 13 de dezembro, pelas 20h30, no Centro Cultural da Ilha Graciosa, a realização de um Encontro de Cânticos de Natal.

No espetáculo participam o Coro de Nossa Senhora de Guadalupe, o Coro da Matriz de Santa Cruz da Graciosa, o Grupo Coral de Nossa Senhora da Luz e o Rancho de Natal de Guadalupe, que vão interpretar canções tradicionais, através das quais realçam o espírito desta quadra e enaltecem a fraternidade, o amor, a paz e a alegria.

A Direção Regional da Cultura informa que este e outros eventos estão disponíveis para consulta na Agenda Cultural do Portal CulturAçores, no endereço eletrónico www.culturacores.azores.gov.pt.



GaCS
Publicado por: George Correia

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

O concurso para a construção da cozinha de receção e distribuição do Serviço de Apoio ao Domicilio da Santa Casa da Misericórdia de Santa Cruz da Graciosa foi hoje publicado em Diário da República.

Esta empreitada, inscrita na Carta Regional de Obras Públicas, tem um prazo de execução de nove meses e representa um investimento do Governo dos Açores de cerca de 780 mil euros, sendo financiada pela Secretaria Regional da Solidariedade Social, através da Direção Regional da Solidariedade Social.

Com a construção da nova cozinha da Santa Casa da Misericórdia de Santa Cruz da Graciosa pretende criar-se um espaço devidamente equipado e funcional que permita responder às exigências das várias valências da instituição, nomeadamente a creche, o jardim de infância, o Centro de Atividades Ocupacionais, o Serviço de Apoio Domiciliário e o Lar de Idosos, melhorando, assim, a qualidade do serviço prestado.

O Governo dos Açores tem a preocupação constante de garantir condições, não apenas no que se refere à capacidade das estruturas, mas também ao nível da qualidade da prestação de serviços, pelo que este investimento se configura como mais uma resposta às necessidades desta população.



GaCS

Publicado por: George Correia

domingo, 6 de dezembro de 2015

Sismo de magnitude 2,9 sentido na ilha Graciosa

O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) informa que, segundo o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), foi registado às 03h45 de hoje um evento com magnitude 2.9 na escala de Richter e epicentro a cerca de sete quilómetros a oeste de Luz, na ilha Graciosa.

De acordo com a informação disponível até ao momento, o sismo foi sentido com intensidade máxima II/III na escala de Mercalli Modificada em Guadalupe, na Graciosa.

O CIVISA informa ainda que, entre as 01h18 de sábado, 5 de dezembro, e as 10h50 de hoje, foram registados 16 eventos na mesma região epicentral, com os epicentros a definirem uma faixa de direção nordeste-sudoeste.

A atual zona sismogénica foi já palco de significativa atividade sísmica no passado, destacando-se a crise sísmica de março de 2012, durante a qual foram registados 300 eventos, na sua maioria de magnitude inferior a 2.0.

O CIVISA e o SRPCBA continuam a acompanhar o evoluir da situação, emitindo novos comunicados caso necessário.

O SRPCBA recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, em particular nas zonas mais vulneráveis, recomenda-se a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

Manter a calma e contar com a existência de possíveis réplicas.

Não acender fósforos nem isqueiros e cortar imediatamente o gás, a eletricidade e a água.

Observar se a sua casa sofreu danos graves e sair imediatamente se achar que a casa não oferece segurança.

Ter cuidado com vidros partidos, cabos de eletricidade e objetos metálicos que estejam em contacto com estes.

Em locais públicos, não se precipitar para as saídas e não utilizar os elevadores.

Evitar ferimentos, protegendo-se com roupa adequada e de acordo com a estação do ano.

Observar se há pequenos incêndios e, se possível, extingui-los. Informar os bombeiros.

Limpar urgentemente o derrame de tintas, pesticidas e outros materiais perigosos e inflamáveis.

Afastar-se das praias e zonas ribeirinhas. Depois de um sismo podem ocorrer tsunamis (onda gigante).

Soltar os animais, eles tratam de si próprios.

Se estiver na rua, não vá para casa, dirija-se a um local amplo, protegendo-se de estruturas que o possam atingir ao cair.

Não dificultar a circulação das equipas de socorro e seguir as indicações dos agentes de Proteção Civil no terreno.

Estar atento às informações e indicações da Proteção Civil e forças de segurança.



GaCS

Publicado por: George Correia

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Museu da Ilha Graciosa divulga agenda cultural para o mês de dezembro de 2015

















Museu da Graciosa
Largo Conde de Simas, 17 
9880-345 Santa Cruz da Graciosa
( +351 295 712429 / 7 +351 295 732427




Publicado por: George Correia









domingo, 29 de novembro de 2015

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Museu da Graciosa divulga "O ciclo de vida das cagarras"

O Museu da Graciosa, em parceria com a Associação Cultural, Desportiva e Recreativa da Graciosa, tem patente ao público uma instalação de som e imagem intitulada "O ciclo de vida das cagarras".

Esta instalação, que pode ser visitada até 31 de dezembro na sede da associação, no Caminho de Cima, freguesia da Luz, é composta por conteúdos da autoria de Paulo Henrique Silva e Félix Rodrigues que apresentam a ambiência onde as cagarras nidificam, proporcionando aos visitantes o conhecimento desta espécie.

A Direção Regional da Cultura informa que este e outros eventos estão disponíveis para consulta na Agenda Cultural do Portal CulturAçores, no endereço eletrónico www.culturacores.azores.gov.pt. 



GaCS

Publicado por: George Correia

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Museu da Graciosa promove exposição sobre a baleação nos anos 50

O Museu da Graciosa promove segunda-feira, 23 de novembro, pelas 10h00, na sala de exposições temporárias, a inauguração de uma exposição documental intitulada "Ilha Graciosa. A baleação nos anos 50".

A mostra, que estará patente até 31 de dezembro, é constituída por 16 fotografias inéditas, a preto e branco, relativas à caça à baleia na ilha Graciosa, na segunda metade dos anos 50 do século XX.

As imagens são da autoria de Cristóvão Mota Soares e reportam a participação do autor em várias fases do processo da baleação na 'ilha Branca".

A Direção Regional da Cultura informa que este e outros eventos estão disponíveis para consulta na Agenda Cultural do Portal CulturAçores, no endereço eletrónico www.culturacores.azores.gov.pt.



GaCS

Publicado por: George Correia

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Reabilitação e beneficiação de troço de estrada entre Limeira e Porto Afonso, na Graciosa, foi consignada

O Governo dos Açores consignou à empresa Tecnovia Açores, por cerca de 980 mil euros, a empreitada de reabilitação e beneficiação do troço da Estrada Regional N.º 1-2.ª, entre a Limeira e o Porto Afonso, na ilha Graciosa.

A empreitada, que abrange cerca de 10 quilómetros de estrada, vai decorrer em três fases, abrangendo a primeira o troço compreendido entre a Serra Branca e a Limeira, enquanto a segunda terá lugar entre a Serra Branca e a rotunda da Ribeirinha e a terceira fase decorrerá entre esta rotunda e o Porto Afonso.

Os trabalhos da primeira fase já estão a decorrer.

A empreitada, que terá uma duração de 300 dias, contempla intervenções ao nível do pavimento, sinalização e equipamento de segurança naquela via.

Com esta intervenção, o Governo dos Açores vem dar cumprimento à aposta na melhoria dos circuitos logísticos terrestres da Graciosa, promovendo as condições para garantir um fluxo de trânsito mais seguro e cómodo entre a Limeira e o Porto Afonso, já que prevê o reforço da sinalização horizontal nessa zona, bem como equipamentos de segurança, guiamento e balizamento.



GaCS

Publicado por: George Correia

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Reservatório de água em Santa Cruz está aberto ao público

AVISO
RESERVATÓRIO DE ÁGUA
A Câmara Municipal informa que se encontra aberto à população o Reservatório de Água sito na Rua Eng. Manuel Rodrigues Miranda, na freguesia de Santa Cruz da Graciosa, de segunda a sexta-feira, das 13:30 horas às 17:00 horas.
O Reservatório de Água mostra a forma como a população conseguiu contornar o problema dos fracos recursos de água, criando assim estruturas que não são comuns nas restantes ilhas açorianas, justificando a sua importância como património e parte da história da Ilha Graciosa.
Hoje em dia, apesar de desativadas, uma variedade de construções ligadas à captação, armazenamento e distribuição de água constitui um interessante tema no campo da Arquitetura.
A forma como foram implementadas e construídas, assim como os materiais utilizados, revelam a criação de uma resposta competente quanto à necessidade de lidar com a escassez da água.

GaCS
Publicado por: George Correia

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Festival de Coros da Ilha Graciosa decorre este fim de semana

Integrado no Ciclo Musical de Outono, este sábado e domingo realiza o Festival de Coros da Ilha Graciosa que conta com a participação do Coral Notas Livres de Vendas Novas e o Coro da Matriz de Santa Cruz da Graciosa.
 
No sábado, 24 de Outubro, pelas 21h00, no auditório da Escola Básica e Secundária da Graciosa, actuarão o Coro da Matriz e o Coral Notas Livres de Vendas Novas.
No dia seguinte, domingo, o Coro de Vendas Novas realizará um 2º concerto no Centro Cultural da Graciosa, pelas 21h00, com um programa diferente do primeiro.
O Festival de Coros da Ilha Graciosa 2015 é organizado Coro da Matriz de Santa Cruz da Graciosa.


Publicado por: George Correia

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Campanha SOS Cagarro contribui para conservação da espécie a nível mundial, afirma Brito e Abreu

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia destacou, em Ponta Delgada, a importância da Campanha SOS Cagarro para a conservação dos cagarros que nidificam nos Açores, salientando que se trata de uma iniciativa “respeitada internacionalmente" e que projeta a Região "como um caso de sucesso no que respeita a iniciativas de conservação da natureza”.
“Cerca de 65% da população mundial desta ave marinha reproduz-se nas nossas ilhas e, portanto, o sucesso do destino Açores também é reconhecido pelos cagarros como destino de lua de mel”, salientou Fausto Brito e Abreu, que falava quinta-feira na sessão de abertura da Campanha SOS Cagarro 2015.

O Secretário Regional do Mar sublinhou “a responsabilidade especial da Região para a conservação desta espécie”, acrescentando que o objetivo é tornar a campanha “mais relevante, fazendo uso cada vez melhor dos dados científicos que são recolhidos”.

Brito e Abreu referiu ainda a necessidade de “sensibilizar os turistas para colaborarem nas brigadas noturnas, que podem ser encaradas como uma atividade turística diferente”.

A Campanha SOS Cagarro, que se realiza desde 1995, é uma iniciativa do Governo dos Açores, através das direções regionais dos Assuntos do Mar e do Ambiente, sendo operacionalizada pelos Parques Naturais de Ilha.

Esta iniciativa que se realiza todos os anos, de 15 de outubro a 15 de novembro, permite salvar milhares de juvenis desta espécie.

Esta campanha apresenta uma vertente de educação ambiental, com exposições, sessões em escolas e ações conjuntas com a PSP, GNR e escuteiros para sensibilização dos condutores, e uma vertente de conservação da natureza, em que são organizadas brigadas noturnas de salvamento de cagarros em todas as ilhas, bem como iniciativas de anilhagem de aves para facilitar o estudo da espécie.


Durante a campanha SOS Cagarro 2014 foram registados e salvos 2.841 cagarros, tendo estado envolvidos mais de três centenas de parceiros e cerca de 2.500 pessoas, entre voluntários e público-alvo de ações de sensibilização.


Anexos:
201S.10.16-SRMCT-SOSCagarro.mp3

GaCS

Publicado por: George Correia

sábado, 26 de setembro de 2015

Dom João Evangelista Pimentel Lavrador é o novo Bispo dos Açores

NOVO BISPO DOS AÇORES
DOM JOÃO EVANGELISTA PIMENTEL LAVRADOR

Síntese:
Nascimento: 18/Fev/56, em Seixo de Mira, Concelho de Mira, Distrito de Coimbra
Ordenação Presbiteral: 14/Jun/81, na Sé Nova de Coimbra
Nomeação Episcopal: 07/Mai/08, para Bispo Auxiliar do Porto
Ordenação Episcopal: 29/Jun/08, na Sé Nova de Coimbra
Endereço:
Casa Episcopal - Terreiro da Sé - 4050-573 PORTO
Tel.: 223 392 330 - Fax: 223 392 331
E-mail: domjoaolavrador@diocese-porto.pt
Formação e funções académicas:
Em 1967 entrou no Seminário de Buarcos e, no ano seguinte, no Seminário Menor da Figueira da Foz, frequentando as aulas no Liceu da Figueira da Foz.
Em 1972 transitou para o Seminário Maior de Coimbra, completando os estudos liceais em 1974, prestado provas de exame no Liceu Dom Duarte em Coimbra.
Entre 1974 e 1980 frequentou o Instituto Superior de Estudos Teológicos, terminando o curso de teologia em 1980. Fez parte, como aluno, da Comissão Directiva do ISET, durante vários mandatos.
Entre 1980 e 1984 colaborou na vida pastoral da paróquia de Pombal, ajudando o respectivo pároco. Durante este período, leccionou nas Escolas Preparatória e Secundária de Pombal a disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica.
Foi ordenado presbítero a 14 de Junho de 1981, na Sé Nova de Coimbra.
Entre 1984 e 1988 foi responsável pelo Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil e Assistente Regional do CNE. Durante este período, leccionou, na Escola Normal de Educadores de Infância de Coimbra, a disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica.
Entre 1988 e 1990 frequentou a Universidade Pontifícia de Salamanca, terminando a sua licenciatura canónica na área da Teologia Dogmática com a apresentação da Dissertação «O Laicado no Magistério dos Bispos Portugueses, a partir do Vaticano II».
Em 1991 fez o currilum escolar para o doutoramento, cujo grau obteve em 1993, apresentando e defendendo a tese «Pensamento Teológico de D. Miguel da Annunciação –Bispo de Coimbra (1741 – 1779) e renovador da Diocese».
Desde 1991 tem vindo a leccionar no ISET de Coimbra teologia dogmática.
Serviços pastorais que desempenhava por ocasião da nomeação episcopal:
Desde 1990, em vários mandatos, desempenha as funções de Secretário do Conselho Presbiteral.
Em 1991 foi nomeado Reitor do Seminário Maior de Coimbra, cargo que ocupou até 1997.
Entre 1993 e 1999 desempenhou o cargo de Secretário Geral do Sínodo Diocesano de Coimbra.
Em 1997 é nomeado Pró-Vigário Geral da Diocese de Coimbra e membro do Conselho Episcopal Diocesano
Em 1998 é nomeado Director do Instituto Universitário Justiça e Paz e Coordenador da Pastoral do Ensino Superior.
Em 2001, com a reactivação do Centro Académico de Democracia Cristã (CADC), é nomeado seu assistente eclesiástico.
Em 1998 é nomeado capelão do Carmelo de Santa Teresa de Coimbra.
Em 1999 é nomeado Cónego da Sé de Coimbra e do Colégio de Consultores.
Desde 1999 desempenha as funções de Secretário da Comissão Episcopal das Comunicações Sociais, cuja Comissão, a partir de 2005, se denomina de Comissão Episcopal da Cultura, dos Bens Culturais e das Comunicações Sociais.



Publicado por: George Correia

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Colóquio da Lusofonia arranca hoje na Ilha Graciosa

O colóquio, que se realiza este ano pela primeira vez na Graciosa, tinha como convidado especial Valter Hugo Mãe, mas por "motivos de saúde" o escritor vai estar ausente do encontro, disse à Lusa o presidente da AICL, Chrys Chrystello.

O encontro volta a contar com Ximenes Belo, prémio Nobel da Paz, que em 2005 e 2013 já tinha marcado presença, realizando-se hoje uma sessão especial na Escola Secundária da Graciosa, para a qual foram convidadas várias personalidades - para "uma interligação entre académicos, escritores e professores e alunos" - e onde serão abordados temas como Lusofonia e Língua Portuguesa, Açorianidades e Tradutologia.

Vão estar representadas 18 regiões de Portugal, Alemanha, Angola, Austrália, Brasil, Cabo Verde, Canadá, Estados Unidos da América, Espanha, Luxemburgo, Macau, Moçambique e Timor.

O programa prevê também a presença da diretora executiva do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP/CPLP), Marisa Mendonça, de autores açorianos, como Álamo Oliveira, Brites Araújo, Norberto Ávila, Susana Margarido e Victor Rui Dores.

Além das sessões científicas, haverá recitais de poesia, do Cancioneiro Açoriano e de poetas açorianos e serão recriados recitais de piano que se realizavam no século passado, nas residências na Graciosa.

Os Colóquios da Lusofonia, que decorreram pela primeira vez no Porto, já passaram por Bragança (durante nove anos), Macau, Brasil e Galiza (Espanha). Realizam-se nos Açores desde 2006.

A iniciativa tem como patronos dois linguistas - o português Malaca Casteleiro e o brasileiro Evanildo Bechara.




Fonte: noticiasaominuto.com

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Escritores contemporâneos em destaque no 24.º Colóquio da Lusofonia, este ano na Ilha Graciosa, de 24 a 27 de Setembro de 2015

O 24.º Colóquio da Lusofonia, que se realiza este ano pela primeira vez na Graciosa, nos Açores, pretende "inovar" e vai dar voz a novos autores contemporâneos portugueses e divulgar a literatura de matriz açoriana.

"Continuamos a conseguir fazer dois colóquios, um nos Açores e outro no exterior, apesar da crise desde 2008, e sentimo-nos muito gratos por termos conseguido chegar à 24.ª edição, coisa que nunca imaginámos que seria possível quando começámos este projeto totalmente diferente de tudo o que se fazia em Portugal na altura", afirmou o presidente da Associação Internacional dos Colóquios da Lusofonia (AICL), Chrys Chrystello, em declarações à Lusa.

Santa Cruz, na ilha Graciosa, acolhe entre 24 e 27 de setembro o evento, que ostenta "pela primeira vez a logomarca Açores", segundo Chrys Chrystello.
O presidente da AICL disse que a 24.ª edição terá como convidado especial o escritor Valter Hugo Mãe, além de Ximenes Belo, prémio Nobel da Paz, que "já esteve duas vezes no colóquio - em 2005 e 2013" - e regressa "porque está a fazer um trabalho que se coaduna com um de três projetos permanentes que existem nos colóquios", sobre a importância dos missionários açorianos no Oriente, em Macau e em Timor.
A iniciativa vai contar também com a diretora executiva do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP/CPLP), Marisa Mendonça.
Chrys Chrystello disse que a presença de Valter Hugo Mãe pretende "dar voz aos novos autores consagrados contemporâneos portugueses" e acrescentou que o escritor "tem muitos leitores no arquipélago", em especial na Graciosa.
O responsável adiantou ainda que cinco autores açorianos vão deslocar-se a Santa Cruz para divulgar a "pujante literatura de matriz açoriana", que "está bem ativa" e "bem presente" em todo o país. São eles Álamo Oliveira, Brites Araújo, Norberto Ávila, Susana Margarido e Victor Rui Dores.
Segundo a associação, "esta literatura tem sido promovida pelos colóquios desde 2006, com os Cadernos de Estudos Açorianos em linha, a tradução de obras para sete línguas, a publicação de antologias destinados ao currículo regional açoriano".
De acordo com o programa divulgado, há sete dezenas de inscritos e o colóquio terá uma sessão especial no dia 24, na Escola Secundária da Graciosa, com várias personalidades em diálogo com académicos, escritores, professores e alunos.
No evento serão abordados temas como a "Lusofonia e a Língua Portuguesa", "Açorianidades" e "Tradutologia" e, além das sessões científicas, haverá recitais de poesia, do Cancioneiro Açoriano e de poetas açorianos.
Chrys Chrystello disse ainda que o colóquio terá "uma forte componente local" e que serão recriados "recitais de piano, tal como se fazia no século passado, em que a 
Graciosa tinha praticamente um piano por casa".
Os Colóquios da Lusofonia, que decorreram pela primeira vez no Porto, já passaram por Bragança (durante nove anos), Macau, Brasil e Galiza (Espanha). Realizam-se nos Açores desde 2006, tendo Chrys Chrystello frisado que "um dos sonhos a breve prazo" é realizá-los em Cabo Verde, por ser "dos países com maiores afinidades à noção de lusofonia".
Vão estar representadas 18 regiões de Portugal, Alemanha, Angola, Austrália, Brasil, Cabo Verde, Canadá, Estados Unidos da América, Espanha, Luxemburgo, Macau, Moçambique e Timor.

Fonte: noticiasaominuto.com
Publicado por: George Correia

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Governo conclui Rede Regional de Abate com lançamento da empreitada do Matadouro da Graciosa

O Conselho do Governo autorizou a abertura de concurso público internacional com vista à construção do Matadouro da Ilha da Graciosa, com o preço base de 5,9 milhões de euros.

Com esta obra, que inclui uma sala de desmancha, uma estação de tratamento de águas residuais e uma unidade de preparação e acondicionamento de subprodutos e despojos, conclui-se a rede de abate da Região.

A decisão foi anunciada hoje pela Secretária Regional Adjunta da Presidência para os Assuntos Parlamentares na apresentação do Comunicado do Conselho do Governo reunido na Graciosa no âmbito da visita estatutária à ilha.

O Governo decidiu ainda proceder à operacionalização da Central de Serviços Partilhados da Ilha Graciosa, com vista à gestão de forma centralizada e integrada de toda a informação relativa aos recursos humanos do Quadro Regional da ilha, à organização e uniformização das compras públicas e à aquisição e manutenção de bens e serviços comuns a todos os serviços dotados de autonomia administrativa, da administração regional, localizados na Graciosa.

Trata-se de uma medida identificada no Programa do Governo dos Açores para a racionalização e eficiência da Administração Regional.

No setor das obras marítimas, o Governo deliberou o lançamento do novo concurso público para a empreitada de proteção e estabilização da zona costeira da Barra, em Santa Cruz da Graciosa, com o preço base de 7,4 milhões de euros e um prazo de execução previsto de 18 meses.

Na área da solidariedade social, o Governo decidiu apoiar a Santa Casa da Misericórdia de Santa Cruz da Graciosa com um montante até 700 mil euros para a construção e aquisição de equipamento para uma cozinha para a receção e distribuição do Serviço de Apoio Domiciliário (SAD).

A obra irá beneficiar também outras valências da instituição, como o jardim-de-infância, o centro de atividades ocupacionais (CAO) e a creche.



GaCS


Publicado por: George Correia

Governo dos Açores entrega carrinha adaptada ao CAO da Graciosa

A Secretária Regional da Solidariedade Social entregou hoje uma carrinha adaptada ao Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) da Santa Casa da Misericórdia de Santa Cruz da Graciosa, um investimento do Governo dos Açores superior a 50 mil euros que servirá cerca de uma dezena de utentes.

“O relacionamento do Governo dos Açores com as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) não se esgota na construção e/ou adaptação de infraestruturas, passando igualmente por vários outros aspetos”, frisou Andreia Cardoso, destacando que se trata de "garantir uma resposta eficaz às necessidades de inúmeras famílias do concelho de Santa Cruz".

A carrinha hoje entregue, segundo a Secretária Regional, “permitirá responder às necessidades dos utentes do CAO, mas também dos idosos a que a Santa Casa da Misericórdia responde na sua estrutura residencial”.

Após a entrega da carrinha adaptada, integrada no programa da Visita Estatutária do Executivo Açoriano à ilha Graciosa, Andreia Cardoso visitou as instalações do CAO e da Creche e Jardim-de-Infância, tendo destacado a importância da colaboração entre os vários agentes.

“É fundamental que todas as entidades públicas, designadamente as autarquias e o Governo Regional, mas também as IPSS e as Misericórdias, que são nossos parceiros nestas matérias, estejam atentas às necessidades para que consigamos, em conjunto, dar as respostas que são necessárias à população”.

Anexos:


GaCS



Publicado por: George Correia

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Associação Cultural, Desportiva e Recreativa da Graciosa é exemplo para o associativismo jovem açoriano, afirma Isabel Rodrigues

A Secretária Regional Adjunta da Presidência para os Assuntos Parlamentares afirmou hoje que a Associação Cultural, Desportiva e Recreativa da Graciosa é “um exemplo para o movimento associativo juvenil" nos Açores, salientando o "impacto muito interessante que as suas atividades têm nas comunidades locais onde atua”.

Isabel Rodrigues, que falava no final de um encontro com a direção da associação, no âmbito da visita estatutária do Governo Regional à ilha Graciosa, destacou a diversidade de atividades que a instituição desenvolve junto de públicos diferenciados, desde o museu, que tem interesse do ponto de vista turístico, mas também para a comunidade escolar, até às atividades da biblioteca móvel e ao espaço de Informação e Tecnologia.

A associação tem ainda uma valência desportiva que conta com oito dezenas de jovens atletas federados nas modalidades de vela e andebol.

“Este é o tipo de atividades que as associações podem desenvolver com um impacto muito positivo por contribuírem de forma efetiva para o desenvolvimento do público jovem a que se dedicam”, frisou a Secretária Regional.

Nesse sentido, salientou que associações como a da Graciosa, constituem-se “como alternativas muito importantes de ocupação de tempos livres das crianças em comunidades mais periféricas, ao mesmo tempo que constituem uma complementaridade às atividades escolares mais formais”.

“A circunstância de o espaço ser muito procurado por crianças em tempo de férias e em horários pós escolares para desenvolverem as suas atividades de investigação, utilizando o recurso da Internet, é um bom exemplo de como, com um conjunto de recursos interessante, contando naturalmente com apoios do Governo Regional, sem os quais essas atividades não seriam sustentáveis, pelo caráter não lucrativo que têm, podemos intervir de forma muito positiva nas nossas comunidades”, salientou Isabel Rodrigues.

A Associação Cultural, Desportiva e Recreativa da Graciosa foi fundada em 1993, com o objetivo de promover a participação cívica dos jovens graciosenses e a promoção ou colaboração em projetos de ordem sócio-cultural, desportiva e recreativa.

Anexos:
2015.09.08-SRAPAP-AssociaçãoGraciosa.mp3

GaCS



Publicado por: George Correia