sábado, 12 de dezembro de 2015

Campanha SOS Cagarro 2015 salvou cerca de 5.000 juvenis

O Diretor Regional dos Assuntos do Mar revelou que a Campanha SOS Cagarro 2015 permitiu devolver ao mar 4.951 juvenis, o que representa mais 2.100 aves do que no ano passado. 

“O aumento do número de cagarros salvos pode significar que este ano houve mais casais a nidificar na Região”, frisou Filipe Porteiro.

A Campanha SOS Cagarro realiza-se, desde 1995, entre 15 de outubro e 15 de novembro, tendo sido este ano prolongada por mais cinco dias devido à saída tardia dos juvenis dos ninhos.

Esta iniciativa, que tem como um dos principais objetivos envolver pessoas e entidades no salvamento dos cagarros juvenis, contou nesta edição com a participação de 255 entidades parceiras e mais de 4.600 voluntários em ações de campo.

“O empenho e a participação de voluntários e dos parceiros foi, mais uma vez, exemplar e decisiva para o sucesso da maior e mais antiga campanha pública de conservação da natureza do país”, frisou o Diretor Regional.

A Campanha SOS Cagarro tem duas vertentes, nomeadamente a Educação Ambiental e a Conservação da Natureza.

Na vertente de Educação Ambiental foram desenvolvidas exposições, pintura de murais, percursos pedestres, sessões em escolas e sessões de informação durante a anilhagem e libertação de cagarros junto à costa, para além de ações conjuntas com a PSP, a GNR e os Escuteiros para a sensibilização dos condutores.

Relativamente à vertente da Conservação da Natureza, foram organizadas brigadas noturnas de salvamento de cagarros em todas as ilhas e colocadas placas de sinalização em estradas.

Procedeu-se também à recuperação de aves feridas e a uma campanha de anilhagem para promover o estudo da ecologia da espécie e a sua dinâmica comportamental que levará estas aves a regressarem aos Açores.

Na campanha deste ano foram também registados 226 cagarros mortos, salientando Filipe Porteiro que algumas dessas aves foram "recolhidas e conservadas" para estudo, de forma a "perceber se esta ave é afetada de alguma forma pelo lixo marinho”.

Filipe Porteiro recordou que “o cagarro é uma espécie protegida por legislação regional e por convenções internacionais”, salientando que se pretende com esta campanha que os cagarros juvenis façam “a sua migração de milhares de quilómetros para as zonas de invernagem no hemisfério sul" e possam "um dia regressar às suas ilhas de origem, quando adultos, para se reproduzirem”.

A Campanha SOS Cagarro é promovida pela Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, através da Direção Regional dos Assuntos do Mar, sendo operacionalizada pela Direção Regional do Ambiente, através dos Parques Naturais de Ilha e da Azorina.

Durante a campanha deste ano, tal como em edições anteriores, procedeu-se à redução da iluminação pública em locais identificados como sendo mais críticos em poluição luminosa, nomeadamente estradas, campos de futebol e portos.

Esta ação contou com a colaboração de câmaras municipais, da EDA e da Portos dos Açores.



GaCS

Publicado por: George Correia

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário