quinta-feira, 16 de junho de 2011

Intervenção do Secretário Regional da Agricultura e Florestas



Texto integral da intervenção do Secretário Regional da Agricultura e Florestas, Noé Rodrigues, proferida hoje, na cerimónia de inauguração da Reserva Florestal de Recreio da Caldeira:

“A floresta açoriana constitui um elemento estruturante e da identidade própria da nossa paisagem.

Ocupando cerca de 31 % do nosso território, a floresta suporta na Região um sector económico responsável por 1.400 postos de trabalho, gerando um volume de negócios anual de cerca de 1.8 milhões de euros, pela venda directa de material lenhoso, e de 10,9 milhões de euros, quando contabilizado ao nível do sector industrial da primeira transformação.

A real importância das florestas vai, contudo, muito para além do seu valor tangível, assumindo uma importância fundamental na conservação dos solos, dos recursos hidrícos, da biodiversidade, e no papel que desempenha para o bem estar e qualidade de vida das populações.

Com a rotina da vida de hoje e com a crescente circunscrição das sociedades actuais aos espaços urbanos, o acesso das populações aos espaços silvestres é cada vez mais remoto.

As Reservas Florestais de Recreio são assim espaços de excelência para um retorno ao contacto com a natureza e com a floresta, sendo justamente consideradas como um dos melhores exemplos do bom trabalho que desenvolvemos na silvicultura açoriana.

Os 26 Parques Florestais que hoje existem nos Açores, que acolhem anualmente milhares de visitantes locais e forasteiros, têm recebido um investimento contínuo na sua manutenção e nas suas infra-estruturas, como é o caso deste Parque Florestal da Caldeira da Graciosa, cujas obras de requalificação hoje inauguramos.

Esta aposta que fazemos na reabilitação e requalificação das nossas reservas florestais contribui para o esforço de sensibilização e de divulgação do nosso património florestal, das nossas espécies endémicas, da flora e da fauna, tendo nos Centros de Divulgação Florestal com que dotamos estes espaços, um elemento didático e pedagógico para todos os que os visitam e, em especial, para os mais novos.

Igualmente associamos às nossas Reservas Florestais de Recreio a promoção de estilos de vida saudáveis, através da instalação de equipamentos para o exercício físico e de circuitos de manutenção.

O Parque Florestal da Caldeira é o único deste género na ilha Graciosa, desempenhando um importante serviço à população local e aos visitantes por ser um local idealizado para o recreio florestal, onde se podem vivenciar as amenidades e o ambiente bucólico proporcionado pela floresta. As suas principais valências são as áreas de merendas, e de recreio infantil, os expositores de animais, o viveiro florestal, o Centro de Divulgação Florestal e os seus magníficos miradouros.

O projecto de requalificação deste Parque, desenvolvido entre 2007 e 2010, visou a construção e beneficiação de diversas infra-estruturas, num investimento total de mais de 500 mil euros, para além da utilização dos meios técnicos e humanos do Serviço Florestal da Graciosa.

No âmbito destas intervenções destacam-se a construção de abrigos para animais; a construção de um armazém de apoio e de instalações sanitárias; a pavimentação da estrada de acesso, do parque de estacionamento e do acesso ao armazém; a recuperação da casa para o Centro de Divulgação Florestal; a construção de muros em pedra e de duas zonas cobertas; a beneficiação da área de recreio infantil, a requalificação do mobiliário, dos miradouros e seus acessos, o desbaste de áreas sociais e a valorização do coberto vegetal.

Mas, tal como uma árvore ou uma floresta, um Parque Florestal encerra vida própria, uma vida longa, de “maturação” lenta. Ao invés da arquitectura inanimada, os projectos de arquitectura com seres vivos são um desafio permanente – de acompanhamento, de percepção, de aprendizagem e de adaptação.

A boa gestão de um Parque Florestal é dinâmica e desafiadora da inteligência e do conhecimento. É um processo sempre inacabado e que exige uma permanente renovação do trabalho e do investimento, ajustando a evolução desta realidade de vida e crescente qualificação da promoção dos Açores.

Ao inaugurar os investimentos aqui feitos sinto um enorme regozijo por devolvermos esta Reserva Florestal, com condições muito melhoradas e de qualidade, aos seus usufruidores e a todos os que gostam de tirar partido da sua riqueza paisagística, recreativa e florestal, simbolizando o empenho e a determinação com que olhamos para o nossos recursos florestais neste “Ano Internacional das Florestas” que comemoramos.

Estamos, pois, todos de parabéns e os graciosenses em particular.”


GaCS/MS

Publicado por: Jorge Gonçalves

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário