quinta-feira, 16 de junho de 2011

Ao inaugurar a nova lota da Graciosa, Carlos César reafirma que a região precisa dos seus pescadores



Numa mensagem dirigida aos pescadores da Graciosa, mas que abrange todos os restantes profissionais da pesca da região, o Presidente do Governo dos Açores exortou-os a “inovar mais na sua actividade extractiva, de forma a dirigirem a pesca não só às espécies tradicionais de fundo, mas também a outras espécies, como por exemplo os atuns, o espadarte, as lulas, o caranguejo de profundidade ou o peixe-espada preto, entre outras.”

Para Carlos César, “só a aposta na exploração de mais espécies com potencial comercial, que existem no mar dos Açores, permitirá garantir aos pescadores uma maior estabilidade económica e assim fazerem face às flutuações dos stocks que tradicionalmente têm condicionado a sua actividade.”

Falando na cerimónia de inauguração da nova lota do porto da Praia da Graciosa, aludiu à grande prioridade que o Governo tem dado à valorização profissional dos marítimos, afirmando que, por isso, tem sido reforçado o número de acções de formação descentralizadas e com horários adaptados às necessidades dos profissionais de cada ilha do arquipélago.

Essa, salientou Carlos César, é uma forma de actualizar os conhecimentos dos pescadores, sem prejudicar os rendimentos que auferem pelo seu trabalho diário na actividade, mas, “para se melhorar a economia da pesca, e para além da necessidade de se aumentar a concorrência na fileira da comercialização, é preciso trabalhar, no que está ao nosso alcance, para a melhor protecção dos recursos.”

Como revelou, o Governo actua em duas frentes, sendo que, a nível regional, procura introduzir gradualmente mais mecanismos de ordenamento das pescarias, com o objectivo de salvaguardar e dar mais consistência à protecção das zonas até seis milhas da costa de cada ilha.

“Com isso, pretendemos que os seus stocks fiquem prioritariamente reservados para as comunidades piscatórias que não têm alternativa de irem pescar para outras zonas marítimas fora da proximidade das suas ilhas”, explicou.

Já a nível europeu, disse o Presidente do Governo, a prioridade é a de prosseguir na defesa da Zona Económica Exclusiva, “pressionando as entidades europeias para que, no regulamento orientador da reforma da política comum de pescas, se firme o direito que a Região tem a uma área de protecção, de acordo com a capacidade biológica das nossas águas e com a necessidade de garantir a sustentabilidade económica e social das nossas comunidades piscatórias.”

O objectivo é o de abrir caminho “para podermos alargar a nossa área de protecção no âmbito dos regulamentos técnicos que irão gerir as diversas pescarias exercidas pelas frotas europeias.”

A nova lota do porto da Praia da Graciosa, hoje inaugurada, permite aumentar, naquele porto, a capacidade de armazenamento de peixe congelado, que passou das 3 para as 7 toneladas, da refrigeração de pescado, de 6 para 14, e da capacidade de armazenamento de gelo, que passa a ser de 9 toneladas, face às 4 anteriores.

A infra-estrutura, que representou um investimento global de cerca de um milhão e cem mil euros, junta-se a outros modernos equipamentos já instalados, como é o caso do travel-lift que permitirá, sem quaisquer constrangimentos, as operações de varagem de todas as embarcações que compõem a frota de pesca da Graciosa.

Por outro lado, o Governo está empenhado em melhorar as condições de abrigo da zona portuária, tendo actualmente em concurso público a empreitada que irá melhorar as condições de agitação na bacia portuária, para que as embarcações possam ficar permanentemente atracadas nos seus postos de estacionamento em flutuação.

Como sublinhou Carlos César, “o Governo tem feito um bom esforço no sentido desta actividade ter as condições adequadas para o melhor desempenho nas capturas como na exportação. Continuaremos a fazê-lo, no reconhecimento, aliás, das características laboriosas desta comunidade produtiva. Os Açores precisam dos seus pescadores e estes do apoio de todos nós.”


GaCS/CT

Publicado por: Jorge Gonçalves

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário