quarta-feira, 20 de junho de 2012

Intervenção do Presidente do Governo


Texto integral da intervenção do Presidente do Governo Regional, Carlos César, proferida hoje, em Santa Cruz da Graciosa, na cerimónia de inauguração do Centro de Saúde da Ilha Graciosa:

“É um dia importante, para os graciosenses e, evidentemente, para o Governo.

Inauguramos um importantíssimo serviço público, destinado a servir as pessoas num dos aspetos fundamentais da sua segurança, dos seus direitos e da sua qualidade de vida: a prestação de cuidados de saúde. Pelas mesmas razões, a satisfação do Governo não é menor: realizámos mais uma obra de alto valor, e podemos, uma vez mais, dizer aos graciosenses que o nosso compromisso a favor do desenvolvimento da ilha Graciosa foi e é para valer.

Estamos, pois, orgulhosos de mais este benefício concretizado nesta ilha Graciosa.

Trata-se de uma unidade de saúde moderna, com um espaço ampliado para quase o dobro do anterior edifício, de grande qualidade construtiva e funcional, e, até, ambiental, dadas as características do seu aprovisionamento energético. Trata-se de mais uma obra – neste caso de cerca de sete milhões de euros – totalmente projectada, construída e fiscalizada por empresas regionais, que decorreu sem qualquer atraso ou situação excepcional.

A Graciosa ficará, com este novo Centro, dotada de uma estrutura com melhores requisitos a todos os níveis, que propiciará um atendimento muito aperfeiçoado e uma humanização acrescida nas relações entre os profissionais de saúde e os cidadãos. A melhoria das condições de trabalho irá, do mesmo modo, permitir um maior desempenho profissional, com vantagem para o nosso Serviço Regional de Saúde.

São condições bem diferentes, para melhor, as que serão proporcionadas ao nível do internamento, com um total de dezasseis camas, com gases medicinais e aspiração canalizados, permitindo que os doentes internados possam ser observados, em permanência, a partir de uma sala de enfermagem. Ficaremos também com mais consultórios médicos, mais amplos e equipados, tanto para as consultas de especialidade como para o atendimento dos médicos de família à população. Foi, igualmente, instalada uma sala para pequenas cirurgias, mais camas de observação na urgência e um serviço de esterilização totalmente equipado de novo que obedece a todas as regras de higiene e segurança. As novas instalações permitirão, também, a criação de um banco de sangue e a realização de exames de gastro com sedação.

Este novo Centro de Saúde terá, ainda, um ginásio de fisioterapia maior e melhor apetrechado do que o que havia, serviços técnicos de radiologia e laboratório e uma área dedicada à delegação de saúde. Acrescem, evidentemente, os espaços e serviços de apoio, como a cozinha e a lavandaria, o refeitório e as áreas sociais.

Alguns dos atuais equipamentos que se encontram operacionais e em boas condições de funcionamento, como são os casos do RX – um moderno equipamento digital capaz de dar resposta às novas exigências nesta área e dar apoio à telemedicina –, do desfibrilhador, do eletrocardiógrafo e dos monitores e equipamentos do laboratório de análises, entre outros, serão transferidos para este novo edifício. Mas também foram adquiridos novos equipamentos, como, por exemplo, uma mesa de pequena cirurgia e diverso mobiliário hospitalar e administrativo, ou vão ser ainda adquiridos proximamente, como será o caso de uma fonte de eletrocirurgia.

A transferência do antigo para este novo centro de saúde será faseada, como é recomendado neste tipo de instalações. Hoje entram em funcionamento todos os serviços do ambulatório, designadamente as consultas de medicina geral e familiar, a medicina dentária e os gabinetes de psicologia, planeamento familiar, de saúde infantil e de enfermagem.

Iniciam também hoje a atividade o ginásio de fisioterapia e todos os serviços administrativos da unidade de saúde.

Serão depois transferidos o internamento, a urgência e os serviços técnicos, estando previsto que em meados de Julho tudo esteja concluído e a funcionar adequadamente, graças à dedicação e à entrega dos membros do Conselho de Administração e de todos os funcionários deste centro.

A Unidade de Saúde da Ilha Graciosa dispõe de três médicos, dois médicos dentistas, um nutricionista, um psicólogo, quinze enfermeiros e dez técnicos de diagnóstico e terapêutica, num conjunto de mais de meia centena de funcionários, a que se juntarão mais cinco assistentes operacionais cuja admissão está prevista. Só no ano passado, nesta ilha, foram realizadas 8.352 consultas de medicina geral e familiar, 2.534 consultas de medicina dentária, 755 consultas de psicologia e mais de mil consultas de nutrição. Também em 2011, médicos de quinze especialidades deslocaram-se à Graciosa e efetuaram cerca de três mil consultas, levando à realização de mais de oitenta mil exames, entre análises clínicas, ecografias, exames radiológicos e eletrocardiogramas.

A unidade de Saúde da Ilha da Graciosa colabora ainda em outras atividades, como, por exemplo, nos rastreios do cancro que estão a ser efetuados pelo Centro de Oncologia dos Açores, nos rastreios de saúde oral nas escolas e no rastreio de retinopatia diabética. E, como acontece com todas unidade de saúde, desenvolve atividades na área da promoção da saúde e da prevenção da doença.

Por vezes, só quem recorre aos centros de saúde e hospitais é que dá o justo valor ao trabalho e aos custos financeiros do nosso Serviço Regional de Saúde nas nossas nove ilhas. Trata-se de uma assistência, praticamente gratuita, muito importante para as pessoas e para as nossas famílias; trata-se de um bem que importa manter, porque a saúde é um bem inestimável. Se continuarmos a administrar bem as nossas finanças públicas e formos capazes de gerir com grande responsabilidade e consciência, uma a uma, as nossas unidades de saúde, e conseguirmos também manter ou reforçar os montantes e fontes de financiamento que transferimos para o sistema de saúde, vamos, com certeza, ser capazes de assegurar a qualidade, o acesso aos cuidados de saúde e o apoio de proximidade de que os açorianos hoje usufruem. Temos, pois, de continuar no Governo o caminho que estamos a fazer.

Têm sido grandes os progressos que temos conseguido no nosso sistema de saúde: na melhoria das infraestruturas, na renovação de equipamentos e em medidas facilitadoras de um melhor acesso aos serviços, tal como na promoção da saúde em geral.

No caso das infraestruturas teremos, para além deste Centro da Graciosa, o novo Centro de Saúde de Ponta Delgada, cujo concurso para o inicio da obra já está em fase final, o Centro de Saúde da Madalena e a remodelação do bloco C do hospital da Horta, cuja construção já está em curso, e a ampliação do Centro de Saúde de Santa Maria. Fica, desse modo, concluído o essencial e o mais dispendioso do programa de construções e requalificações no âmbito do Serviço Regional de Saúde, se a isso somarmos a concretização da unidade empresarial privada do centro de radioterapia dos Açores, cujo processo é apoiado pelo Governo e está em bom andamento.

Aqui está a obra necessária. A obra prometida. O compromisso cumprido.

Parabéns a todos.”



GaCS
Publicado por: Jorge Gonçalves

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário