quarta-feira, 20 de junho de 2012

Carlos César diz que só quem recorre ao Serviço Regional de Saúde é que lhe dá valor


O Presidente do Governo dos Açores disse hoje que “por vezes, só quem recorre aos centros de saúde e hospitais é que dá o justo valor ao trabalho e aos custos financeiros do nosso Serviço Regional de Saúde nas nossas nove ilhas.”

Como frisou, “trata-se de uma assistência, praticamente gratuita, muito importante para as pessoas e para as nossas famílias; trata-se de um bem que importa manter, porque a saúde é um bem inestimável.”

E essa manutenção passa, para Carlos César, pela boa administração das finanças públicas, como até aqui tem acontecido, e pela gestão conscienciosa das unidades de saúde.

Se isso for conseguido, “vamos, com certeza, ser capazes de assegurar a qualidade, o acesso aos cuidados de saúde e o apoio de proximidade de que os açorianos hoje usufruem. Temos, pois, de continuar no Governo o caminho que estamos a fazer”, disse.

O Presidente do Governo falava na cerimónia de inauguração do novo Centro de Saúde da Graciosa, uma obra no valor de sete milhões de euros que, conforme salientou, permitirá “um atendimento muito aperfeiçoado e uma humanização acrescida nas relações entre os profissionais de saúde e os cidadãos.”

Com um total de dezasseis camas no internamento, com gases medicinais e aspiração canalizados, permitindo que os doentes internados possam ser observados, em permanência, a partir de uma sala de enfermagem, a nova unidade de saúde disporá também de mais consultórios médicos, mais amplos e equipados, tanto para as consultas de especialidade como para o atendimento dos médicos de família à população.

Uma sala para pequenas cirurgias, mais camas de observação na urgência e um serviço de esterilização totalmente equipado de novo estarão igualmente ao serviço da população, bem como um ginásio de fisioterapia maior e melhor apetrechado do que o que havia, serviços técnicos de radiologia e laboratório e uma área dedicada à delegação de saúde.

Com três médicos, dois médicos dentistas, um nutricionista, um psicólogo, quinze enfermeiros e dez técnicos de diagnóstico e terapêutica, num conjunto de mais de meia centena de funcionários, a que se juntarão mais cinco assistentes operacionais cuja admissão está prevista, o Centro de Saúde da Graciosa tem prestado um relevante serviço à população.

O Presidente do Governo Regional revelou que “só no ano passado, nesta ilha, foram realizadas 8.352 consultas de medicina geral e familiar, 2.534 consultas de medicina dentária, 755 consultas de psicologia e mais de mil consultas de nutrição.”

Outro dado revelado por Carlos César mostra que, em 2011, médicos de quinze especialidades deslocaram-se à Graciosa e efetuaram cerca de três mil consultas, levando à realização de mais de oitenta mil exames, entre análises clínicas, ecografias, exames radiológicos e eletrocardiogramas.
Acresce a essa atividade a colaboração que a unidade tem prestado nos rastreios do cancro que estão a ser efetuados pelo Centro de Oncologia dos Açores, nos rastreios de saúde oral nas escolas e no rastreio de retinopatia diabética.

Inaugurando hoje mais esta infraestrutura da saúde, o Presidente do Governo recordou que estão em preparação outras, como o novo Centro de Saúde de Ponta Delgada, cujo concurso para o inicio da obra já está em fase final, o Centro de Saúde da Madalena e a remodelação do bloco C do hospital da Horta, cuja construção já está em curso, e a ampliação do Centro de Saúde de Santa Maria.

“Fica, desse modo, concluído o essencial e o mais dispendioso do programa de construções e requalificações no âmbito do Serviço Regional de Saúde, se a isso somarmos a concretização da unidade empresarial privada do centro de radioterapia dos Açores, cujo processo é apoiado pelo Governo e está em bom andamento”, acentuou Carlos César.


GaCS
Publicado por: Jorge Gonçalves

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário