quarta-feira, 20 de junho de 2012

EUA “colocam nos Açores tecnologia de ponta”, afirma José Contente


A Graciosa foi a ilha escolhida para a implementação de dois projetos “estruturantes e qualificantes” na área da climatologia, o projeto ARM, para a medição da radiação atmosférica, e o projeto SuperDARN, que comprovam “a grande centralidade atlântica dos Açores face a quadros mundiais de referência ao nível da sociedade do conhecimento e da investigação, e colocam o arquipélago a par daquilo que se faz em todo o mundo em matéria de pesquisa científica”, afirmou esta tarde o Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos.

José Contente, que falava na cerimónia de apresentação do Projeto MSI – SuperDARN Super (Dual Auroral Radar Network), afirmou que as duas estações representam uma mais-valia no quadro de uma rede mundial que estuda questões da climatologia, “fundamentais para se perceber os modelos climáticos e como eles devem ser aperfeiçoados no futuro”.

A cadeia de radares a construir na ilha Graciosa irá integrar a rede SuperDARN, que inclui 25 radares, instalados nos hemisférios Norte e Sul, e envolve 10 países numa atividade científico/internacional, que dará a oportunidade à comunidade científica de obter uma compreensão aprofundada acerca dos movimentos do plasma na região acima do Atlântico Norte.

Amplamente estudado nos meios académicos, a região limite inferior do ambiente do espaço que envolve a Terra – a designada alta atmosfera, entre os 100 e os 400 quilómetros de altitude – está associada a vários fenómenos relacionados com o campo magnético da Terra, responsável pelo escudo protetor do nosso planeta. O projeto internacional prevê a construção de uma cadeia de radares de alta frequência e baixa potência para a medição e estudo do plasma, o gás ionizado da alta atmosfera, com vista a obter um melhor conhecimento desta região espacial e das cargas eletromagnéticas que a envolvem. As conclusões desta pesquisa científica irão permitir minimizar os efeitos de fenómenos que causam alterações climáticas, perturbações dos sinais GPS e comunicações, avarias em satélites, sistemas terrestres de abastecimento de energia, etc.

“Os Açores estão a cooperar, através do Governo Regional e da Universidade dos Açores, com os Estados Unidos – que trazem para a Graciosa equipamento e material de ponta na área da climatologia -, para que a Região seja um parceiro ativo na qualificação da investigação científica que será feita a partir destas estações”, realçou o governante.

O SuperDARN é um projeto promovido pela Fundação Nacional para a Ciência dos E.U.A., com a colaboração do Governo Regional dos Açores, através da Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, e da autarquia de Sta. Cruz da Graciosa, sob a coordenação da Universidade de Dartmouth. Envolve ainda o Centro do Clima, Meteorologia e Mudanças Globais da Universidade dos Açores, do Instituto Politécnico e Universidade Estadual da Virgínia, da Universidade do Alaska e do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins.


Anexos:
2012.06.20-SRCTE-ApresentaçãoProjetoSuperDARN.mp3


GaCS
Publicado por: Jorge Gonçalves

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário