sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Governo apresentou Plano para combate aos roedores



O secretário regional da Agricultura e Florestas apelou hoje a um maior envolvimento das entidades públicas e privadas no combate aos roedores, uma vez que nos últimos anos “a Secretaria Regional da Agricultura e Florestas tem feito, de forma quase exclusiva, este trabalho e a distribuição de isco rodenticida pelas autarquias locais e pelos agricultores”.

Noé Rodrigues falava na sessão de apresentação do Plano de Gestão Ambiental Integrada de roedores para o arquipélago dos Açores, elaborado através de um caso de estudo na ilha de São Miguel e levado a cabo pelo Governo dos Açores com a colaboração do Ministério da Agricultura e da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, ao abrigo do acordo de cooperação entre Portugal e os Estados Unidos da América.

Noé Rodrigues salientou a importância da realização deste trabalho que “permite um maior conhecimento sobre a realidade dos roedores nos Açores, das suas origens, populações e incidências e permite identificar melhor quais os meios necessários para controlar e combater os ratos na Região”.

Os objectivos centrais da realização deste trabalho passam pela defesa da saúde pública e da saúde animal e para que se pudesse definir um novo modelo de combate aos roedores garantindo, simultaneamente, uma gestão ambiental integrada.

Com a informação conseguida através da realização deste estudo, o Governo dos Açores vai agora, consultar todas as entidades envolvidas neste processo, para fazerem sugestões e comentários com a finalidade de preparar um Decreto Legislativo Regional que integrará, de forma articulada, “os esforços que a todos dizem respeito no processo de combate aos roedores na Região”.



GaCS/MS

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário