sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Açores: casamentos, divórcios e filhos...


Os açorianos casam-se cada vez mais tarde e escolhem o casamento civil, como forma de união e têm o primeiro filho também cada vez mais tarde, sendo certo que a população está a aumentar, mas os jovens são cada vez menos.


Em termos de casamento, os açorianos seguem a tendência nacional, ou seja, o matrimónio é celebrado, cada vez com mais idade e o casamento por civil é a opção mais dominante.

Em 2003, a idade média no casamento dos homens açorianos era de 28 anos e, em 2008, foi de quase 30.

Nas mulheres, há 5 anos, a média casava-se aos 25 anos de idade, mas essa média aumentou para os 27.

Também a idade de ter o primeiro filho aumentou entre 2003 e 2005, passando dos 24 para os 26 anos.

Quanto à forma de celebração dos casamentos, a maior parte dos casais opta pelo civil: em 2008 celebraram-se 1 032 casamentos do género, contra 310 uniões pela Igreja Católica e, muitos desses casais optaram por viver juntos, antes do casamento.

Por sua vez, o número de divórcios aumentou 30%, entre 2003 e 2008. Ponta Delgada, Ribeira Grande e Angra do Heroísmo, por exemplo, foram os concelhos que registaram mais casamentos e nascimentos, em 2008.

Os nascimentos têm vindo a reduzir-se na Região Autónoma, assim como os óbitos. No entanto, o saldo pende para os nascimentos e este facto, a par das migrações, permite taxas positivas de crescimento populacional efectivo.

No ano de 2008, a população residente no arquipélago era de 244 mil e 780 indivíduos, ou seja, mais 4 700 do que os residentes registados em 2003.

Rui Messias / Carlos Tavares


Fonte: RTP

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário