quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Bienal de Mergulho promove fundos marinhos da ilha Graciosa



Cerca de uma centena de especialistas em mergulho e turismo subaquático participam a partir de sexta-feira, na ilha Graciosa nos Açores, na II Bienal de Turismo Subaquático para abordar “uma estratégia para o seu desenvolvimento”.


Os fundos marinhos da Graciosa “são considerados dos melhores para mergulho subaquático” e “grande parte dos turistas anuais, cerca de mil, de entre os 40 mil existentes no país, deslocam-se à Graciosa por causa do mergulho”, garantem responsáveis pelo encontro.


José Ávila, presidente da Associação Graciosense de Promoção de Eventos (AGRAPROME), que organiza a Bienal, em parceria com a Associação Regional de Turismo (ART), assegura que “o turismo subaquático pode e deve ser um produto turístico específico”.


“Esta é uma actividade que tem potencialidades para crescer muito mais, mas, para tal, é necessário que se aposte na formação e informação dos agentes que até agora têm desenvolvido as suas actividades de forma isolada”, preconiza.


Nos trabalhos destaca-se a participação do português Luís Saldanha, promotor do parque da Arrábida, de Alex Lorent responsável pelo parque das ilhas Medas (Canárias) e de Rui Guerra campeão do mundo de fotografia subaquática.


Os trabalhos contam com a presença de outros especialistas nas áreas do Turismo e Mergulho, Reservas Marinhas, Saúde e Segurança, Comércio e Serviços no mergulho e Empreendedorismo.


Para além dos trabalhos técnicos e científicos a organização promove duas exposições de fotografia de Nuno Sá e Luís Quinta e uma exposição de pintura da artista Margarida Madruga.


Todas as informações sobre esta Bienal encontram-se disponíveis no sítio da Internet http://www.bienal-turismosubaquatico.org/.




Fonte: AO Online

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário