quinta-feira, 5 de maio de 2011

Alunos graciosenses sugerem benefícios fiscais para incentivar voluntariado




Os alunos da Escola Básica e Secundária da Graciosa, propuseram esta quinta-feira a criação de benefícios fiscais em sede de IRS e IRC para os cidadãos e empresas que participem em acções de voluntariado no arquipélago.



A proposta foi apresentada durante o Plenário Jovem, organizado pela Assembleia Legislativa Regional na cidade da Horta, Faial, que juntou 57 alunos de 14 escolas do arquipélago para debater o tema 'Voluntariado e Cidadania Activa'.



Para os alunos da Graciosa, estes benefícios fiscais poderiam ajudar a cativar mais pessoas para o voluntariado e incentivar as empresas a participar nestes projectos.



A proposta foi, no entanto, criticada por Susana Margarido, representante dos Açores na Comissão Nacional para a Promoção do Voluntariado, recordando que o voluntariado «é uma actividade gratuita» e, como tal, não deve ser remunerada, nem ter qualquer outro benefício.



«A actividade de voluntariado não deve ser exercida com segundas intenções», frisou.


Uma maior promoção e divulgação da actividade de voluntariado nas escolas e nas instituições públicas no arquipélago foi também defendido em propostas apresentadas por alunos açorianos, tendo em vista chamar mais cidadãos a participar nestas acções.



Susana Margarido considerou, no entanto, que o problema na região não é a falta de voluntários, mas sim de instituições que os queiram acolher, acrescentando não compreender como é que, não sendo o voluntário remunerado, ele não seja aceite por um grande número de instituições no arquipélago.



«Só vejo uma razão para isso, é que essas instituições não têm interesse em que os voluntários metam o nariz», frisou, citando o caso dos lares de terceira idade, que reclamam da falta de pessoal mas “não querem” acolher voluntários.



A representante dos Açores na Comissão Nacional para a Promoção do Voluntariado lamentou também que não exista um «banco de voluntariado» na região que permita acolher os voluntários e distribuí-los pelas instituições.



Fonte: SOL/Lusa


Publicado por: Jorge Gonçalves

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário