quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Graciosa acolhe Estação Internacional para monitorizar ensaios nucleares



O Governo dos Açores, através da Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos (SRCTE), está a coordenar o processo de instalação de da Estação Internacional de infra-sons IS42, destinada á monitorização de ensaios nucleares.

Integrada na rede mundial de observação, a estação da Graciosa vai fornecer informação para o centro internacional de dados, localizada em Viena, Áustria.

A estação de monitorização foi criada com o objectivo de garantir o cumprimento do estipulado no tratado para a proibição de ensaios nucleares, constituindo-se como um elemento potenciador de projectos de investigação científica baseados em tecnologia de ponta.

Uma vez mais as características específicas da ilha Graciosa - que do ponto de vista geológico possui áreas planas e uma vegetação densa, que garante a protecção dos equipamentos de ponta – foram determinantes para a ser o local escolhido para a implantação desta nova infra-estrutura, um investimento global no valor de 2 milhões de euros.

Dois técnicos da CTBTO (Comissão Preparatória da Organização do Tratado sobre a Proibição Total de Ensaios Nucleares) estão de visita aos Açores para darem início aos trabalhos, no terreno, de instalação da referida Estação.

A equipa reuniu com elementos da SRCTE, ligados à Direcção Regional da Ciência, Tecnologia e Comunicações, para definição do plano de acção e discussão das questões relacionadas com o início da construção da infra-estrutura.

No seguimento de concurso lançado pelo CTBTO, e após a selecção das empresas no ano transacto, prevê-se agora que a fase de construção da Estação no prazo de seis meses, após a qual se seguirá uma fase de testes, para garantir que a infra-estrutura esteja operacional e seja certificada ainda antes do final de 2010.

A manutenção e operação da estação vai ficar a cargo do Centro de Vulcanologia e Avaliação de Riscos Sísmicos da Universidade dos Açores (CVARG).

A Autoridade Nacional da Comissão Preparatória da Organização do Tratado sobre a Proibição Total de Ensaios Nucleares (CTBTO) reconheceu por sua vez «competências técnicas e científicas» ao CVARG a importância do projecto para a rede de monitorização sismovulcânica dos Açores.


GaCS/VS

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário