quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

SATA revê procedimentos para assegurar transporte urgente de carga especial

Para ver imagem no tamanho original queira, por favor, clicar nela e aguardar uns segundos.


A companhia de transportes aéreos dos Açores, SATA, introduziu alterações de procedimentos para impedir a repetição da falha de comunicação que deixou em terra, dia 14 de Dezembro na Terceira, uma unidade de sangue destinada à ilha Graciosa.

A garantia de alteração de procedimentos foi expressa pela empresa ao Governo dos Açores, a par do fornecimento da informação de que a situação em referência ocorreu sem conhecimento do comandante da aeronave responsável pelo voo.

Tratando-se de carga especial, e não havendo disponibilidade de carga, deveria ter existido o cuidado de alertar o comandante do avião para o facto de se tratar de um volume especial (unidade de sangue de dois quilogramas), de transporte urgente em relação à restante bagagem, adianta um esclarecimento do Executivo de Carlos César sobre a matéria.

Segundo sublinha também, quando é atingido o limite de disponibilidade de peso, e por regra, a SATA dá prioridade aos passageiros confirmados e à respectiva bagagem, em prejuízo da carga e correio.


Fonte da notícia: Governo dos Açores / Comunicação Social

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário