segunda-feira, 17 de junho de 2013

SPEA divulga resultados do Censo de Milhafres

São já conhecidos os resultados do 8º Censo de Milhafres, que decorreu nos dias 23 e 24 de março de 2013, envolvendo dezenas de voluntários, para contabilizar os exemplares desta ave, a única rapina diurna no arquipélago dos Açores. Nesta edição foram avistadas 557 aves em 1400 quilómetros percorridos. Os dados recolhidos ao longo dos últimos anos apontam para uma população total de milhafres na ordem dos 1000 indivíduos.

O Censo de Milhafres é um projeto coordenado pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), que decorre em paralelo nos Açores e na Madeira (onde esta ave é conhecida por manta).

A recolha de informação depende do contributo de voluntários e insere-se num projeto de cidadania para a ciência que procura estimar o tamanho e a situação das populações de milhafres. A colaboração do máximo de voluntários é essencial para obter dados robustos sobre o estado desta espécie em cada ilha dos arquipélagos.

Este censo para além de ser importante para obter informação sobre o milhafre, é ainda uma forma divertida de aprender e de passar algum tempo com amigos e família.

Em 2013, nos Açores, com o esforço de 140 voluntários foi possível avistar 557 milhafres nos cerca de 1400 km percorridos.
No arquipélago, entre 2006 e 2013, registam-se 3748 milhafres nos cerca de 10.000 quilómetros percorridos nos 418 percursos. As ilhas de São Miguel, Faial e São Jorge, apresentam no total das 8 edições, os maiores valores de densidade de aves por quilómetro percorrido.

O Censo de Milhafres é um importante contributo para identificar tendências populacionais da espécie, aferindo se o seu número está a aumentar ou a diminuir e alertar para situações de perigo desta espécie emblemática do arquipélago.

Apesar do erro inerente a este tipo de dados, cuja recolha depende do número de voluntários que participa em cada ano e em cada ilha, e das flutuações anuais normalmente expetáveis em espécies selvagens, as populações de milhafres parecem estáveis quer nos Açores quer na Madeira.


Para uma leitura do relatório completo consulte: http://www.spea.pt/pt/estudo-e-conservacao/censos-de-aves/censo-de-milhafres-mantas/

A SPEA agradece a todos os que têm vindo a contribuir para este censo e deixa já o convite para a participação no censo do próximo ano.
________________________________________________________________

Notas:


Nos Açores esta espécie é conhecida por Milhafre ou Queimado, ocorrendo a subespécie Buteo buteo rothschildi. Na Madeira é conhecida por Manta e corresponde à subespécie Buteo buteo harterti. No território continental ocorre a subespécie Buteo buteo buteo.

Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves A SPEA é uma Organização Não Governamental de Ambiente que trabalha para a conservação das aves e dos seus habitats em Portugal. Faz parte da BirdLife International, uma aliança de organizações de conservação da natureza em mais de 100 países, considerada uma das autoridades mundiais no estudo das aves, dos seus habitats e nos problemas que os afetam. | www.spea.pt


Publicado por: Jorge M. Gonçalves

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário