quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Sobre o discurso de Vasco Cordeiro, durante o convívio de Natal das associações agrícola e de jovens agricultores da ilha Graciosa


“Os Açores e os açorianos já conseguiram ultrapassar muitas dificuldades ao longo dos cerca de 36 de autonomia pelo que têm valor para ultrapassar as dificuldades que se adivinham no próximo ano impostas pela conjuntura económica nacional e internacional. Ao Governo cabe trabalhar para evitar e lutar para que haja o menor sacrifício possível para as pessoas. A função de um responsável político não é a de contribuir para o desânimo”, defendeu esta noite, na Graciosa, o Secretário Regional da Economia.

Vasco Cordeiro, que falava num convívio de Natal, organizado pelas associações agrícola e de jovens agricultores da ilha, e que decorreu na Casa do Povo de Guadalupe, aludiu à necessidade “de não desanimar, nem deixar de lutar porque aquilo que os açorianos já passaram ao longo da sua história demonstra que vão ultrapassar as actuais dificuldades”.

Por isso, lamentou, “a função de um responsável político não é dizer ‘isto está tão mal que o melhor é sair daqui’”. “A função de um responsável político é dizer ‘nós estamos juntos nessa tormenta, nós vamos conseguir ultrapassar essa tormenta. Com dificuldades, com desafios, com sacrifícios, mas da mesma forma que estamos juntos nesse período mais difícil, é juntos, mas todos juntos, que vamos sair dela”, garantiu.

Vasco Cordeiro assegurou ainda todo o interesse do Governo em “continuar a trabalhar para criar riqueza na Graciosa”. “Ao trabalhar para criar riqueza aqui, estamos a contribuir para criar riqueza nos Açores”, disse ainda, dando como exemplo desse trabalho “a construção do Matadouro, cujo projecto está a ser elaborado, ou o Centro de Recria, cujos terrenos para a sua instalação foram já adquiridos”.

O Secretário Regional da Economia assegurou ainda que o projecto de remodelação das instalações submetido pela Adega Cooperativa da ilha Graciosa a financiamento comunitário “encontra-se já em condições de merecer aprovação pelo que poderá avançar no próximo ano caso a sua direcção assim o entenda”.

GaCS
Publicado por: Jorge Gonçalves

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário