quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Tarifas aéreas nos Açores baixam entre 15% e 19% a partir de quinta-feira


O preço dos bilhetes vai descer entre 15 e 19 por cento a partir de quinta-feira nas ligações aéreas entre as ilhas dos Açores, numa medida que pretende tornar mais acessíveis as deslocações dentro do arquipélago.

A maior redução será nas ligações entre Corvo e Flores, onde o preço do bilhete de avião cai 19 por cento, passando dos actuais 42 para 34 euros, acrescido de taxas. Nas restantes 'ilhas da coesão' (Santa Maria, Graciosa e S. Jorge), as tarifas aéreas descem 17 por cento. Os preços das ligações aéreas entre S. Miguel, Terceira, Pico e Faial sofrem uma quebra de 15 por cento.
Uma ligação entre Ponta Delgada e as Lages, na Terceira, que custava 146 euros, passa a custar 124 euros, acrescidos de taxas. A descida dos preços das viagens aéreas entre as nove ilhas açorianas, considerados muito elevados pela generalidade das forças políticas e sociais açorianas, surge numa altura em que o avião é o único meio de transporte disponível para viajar entre os três grupos de ilhas do arquipélago.
A operação marítima de transporte de passageiros deste ano terminou no domingo, pelo que, até Maio de 2010, quando terá início a nova operação, as deslocações entre os grupos de ilhas apenas é possível de forma regular por meio aéreo. Em simultâneo com a nova tabela de preços, a SATA Air Açores disponibiliza também, a partir de quinta-feira, uma nova tarifa, direccionada para famílias numerosas. Para este efeito, é considerada família numerosa se tiver mais de cinco elementos, incluindo pais e filhos. A nova tarifa representa um desconto de 20 por cento sobre a tabela aplicada aos residentes no caso dos bilhetes dos adultos, mantendo-se os descontos actuais para bebés (90 por cento) e crianças (50 por cento).
Na prática, os adultos de uma família numerosa, na ligação entre Ponta Delgada e as Lajes, não pagam 124 euros, mas 99,2 euros, acrescidos de taxas. A tarifa de estudante também tem novidades, passando o desconto de 40 por cento a ser feito sobre a tarifa de residente e não, como até agora, sobre a tarifa mais alta. Por outro lado, as tarifas promocionais para residentes serão alargadas a todo o ano, com um desconto mínimo de 30 por cento sobre a tarifa de residente.



Fonte: DN

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário