quinta-feira, 18 de novembro de 2010

EDA procede a alterações na Rede Eléctrica em prol da conservação da avifauna dos Açores



O transporte e distribuição de energia eléctrica implicam frequentemente prejuízos ambientais, como por exemplo a morte de aves por colisão ou electrocussão. No âmbito dos seus Planos de Promoção do Desempenho Ambiental (PPDA) [2], supervisionados pela ERSE [3], a EDA e a SPEA têm vindo a desenvolver uma parceria que visa a realização de estudos e trabalhos de compatibilização das linhas eléctricas com as práticas de protecção da avifauna. Deste modo cabe aos consumidores e às empresas do sector unir esforços para solucionar os problemas.

No decorrer do Projecto de Avaliação da Interacção entre a Avifauna e a Rede de Transporte e Distribuição de Energia Eléctrica dos Açores - Protocolo II (PPDA 2009-2011), são realizadas prospecções a apoios considerados perigosos em todas as ilhas (excepto Corvo, dada a menor dimensão da rede). Deste trabalho resultam listas de prioridades de intervenção em cada ilha, dado existirem apoios que têm vindo a causar maior mortalidade que outros. Assim estas listas tornam-se cruciais para definir quais os locais onde existe a necessidade de intervir em primeiro lugar.Com base na cooperação entre as duas entidades, a EDA elaborou um plano de acções para 2010, com 201 alterações a efectuar.

Uma vez que as aves tendem a pousar nos locais mais altos dos postes, onde a proximidade aos fios eléctricos aumenta a probabilidade de electrocussão, as alterações passam, frequentemente, por afastar esses fios do local de pouso.

Em Santa Maria, a EDA efectuou já 11 das 14 alterações programadas para 2010 e as restantes estão previstas ainda para este ano (Novembro – Dezembro).

Na Graciosa foram já efectuadas todas as alterações previstas a nível de electrocussão para este ano, tendo a SPEA, inclusive, acompanhado de perto esses trabalhos.

Vários apoios que tinham causado mortalidade de milhafres (a espécie mais atingida) têm agora tipologias modernas e mais seguras.

Desde Janeiro de 2010 até à data, foram prospectados 689 apoios, num total de 1335 prospecções, nas ilhas de São Miguel, Santa Maria, Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial, tendo sido encontradas 64 aves electrocutadas. O milhafre é a espécie com maior número de registos, totalizando 40 aves mortas, seguida do estorninho com 13 aves mortas.

São Miguel não apresenta valores de mortalidade por electrocussão nos locais visitados, o que se poderá justificar pelas características técnicas da rede eléctrica, em que a grande maioria das linhas transporta tensões mais elevadas e por isso utiliza estruturas adequadas a estas tensões pelo que a possibilidade de contacto das aves com as estruturas é menor, o que reduz as electrocussões.

No Faial e em São Jorge continuam a obter-se valores baixos, pelo que na continuação do trabalho irá tentar perceber-se a razão de tais diferenças em relação às restantes ilhas.

Santa Maria, Pico, Graciosa e Terceira são as ilhas com maior número de aves electrocutadas, pelo que para além das intervenções já efectuadas este ano em Santa Maria e na Graciosa, é importante dar continuidade aos trabalhos no Pico e na Terceira.

Contudo, os trabalhos não terminam em 2010 e já para 2011 mais alterações estão previstas em todas as ilhas. Tendo como base as listas de prioridades, a EDA está a trabalhar para definir o Plano de Acções para o próximo ano, de modo a evitar ao máximo a electrocussão contínua de aves.

As alterações efectuadas ou a efectuar são monitorizadas pela SPEA e espera-se comprovar nos próximos meses os resultados destas alterações no que diz respeito à diminuição da mortalidade de aves, nomeadamente dos Milhafres.


Fonte: SPEA

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário