terça-feira, 16 de novembro de 2010

Campanha “SOS Cagarro” salvou este ano 3712 aves nos Açores




A campanha “SOS Cagarro”, que decorreu ao longo das últimas seis semanas, permitiu salvar nos Açores 3712 cagarros juvenis, anunciou hoje na Horta o Director Regional dos Assuntos do Mar.

A informação foi avançada por Frederico Cardigos na apresentação pública dos resultados finais desta campanha, uma cerimónia enquadrada nas comemorações nos Açores do Dia Nacional o Mar, que se celebra anualmente a 16 de Novembro.

Segundo referiu na ocasião, o balanço desta campanha, que decorreu entre 1 de Outubro e 15 de Novembro, “é extremamente positivo”, tanto mais que se sabe que os cagarros salvos naquele período nas diferentes ilhas são em maior número do que os 3712 salvamentos registados oficialmente.

Por ilhas, os maiores números de salvamentos registados ocorreram em S. Miguel, Pico e S. Jorge, e os menores na Graciosa, Santa Maria, Flores e Corvo. O número de cagarros mortos correspondeu, em média, a 7% das aves recolhidas.

Frederico Cardigos adiantou ainda que, na campanha de 2010, “houve uma participação bem mais enfática do que no ano passado”, tendo a mesma registado 1.244 colaboradores activos e o envolvimento de 140 empresas.

Como outros pontos positivos, o Director Regional dos Assuntos do Mar destacou um maior número de empresas que este ano aceitaram reduzir a iluminação pública durante a campanha e também o aumento do número de pessoas que se registaram nas brigadas nocturnas.

Para melhor proteger esta ave marinha, advogou também o aumento das áreas de nidificação, a redução da fauna predadora e a diminuição da iluminação costeira durante a campanha “SOS Cagarro”.

“Correu tudo extraordinariamente bem”, sintetizou Frederico Cardigos, e as “pequenas deficiências” que foram detectadas este ano nesta campanha que é emblemática para os Açores serão facilmente corrigidas no próximo ano.

Estimativas apontadas pelo Director Regional dos Assuntos do Mar indicam ainda que se nada fosse feito pelos cagarros nos Açores, a população daquela que é a maior pardela a nidificar no hemisfério Norte poderia diminuir em 30% até 2050.

A Secretaria Regional do Ambiente e do Mar desenvolve anualmente a campanha “SOS Cagarro” visando essencialmente alertar a população açoriana para a necessidade de preservação desta espécie protegida que nidifica nos Açores.

Iniciada em 1995, esta campanha desenvolve-se em duas vertentes – a de Educação Ambiental e a de Conservação da Natureza – e tem como principal objectivo envolver as pessoas e entidades no salvamento dos cagarros juvenis encontrados junto às estradas
e na sua proximidade.

O cagarro, cuja subespécie borealis nidifica sobretudo nos Açores, Madeira, Selvagens, Canárias e Berlengas, é a ave marinha mais abundante nas ilhas açorianas.

Actualmente, existirão nos Açores entre 500.000 a 700.000 cagarros, entre os quais 188.000 casais reprodutores, correspondendo a cerca de 60 a 65% da população mundial da espécie (Calonectris diomedea) e a 75% da população mundial da subespécie (Calonectris diomedea borealis).



GaCS/FG

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário