quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Graciosa vai ter estação científica internacional para o estudo do clima





O Governo dos Açores está a negociar com entidades dos Estados Unidos o estabelecimento de uma parceria para a instalação, na ilha Graciosa, de uma estação internacional para estudo o clima.

O assunto constituiu tema de uma recente reunião, em Ponta Delgada, entre o director regional da Ciência e Tecnologia, João Luísa Garpar, e a cônsul dos EUA nos Açores na Região, Jean Manes.

A iniciativa enquadra-se no Programa Atmospheric Radiation Measurement (ARM), implementado pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos da América em 1990 com o objectivo de estudar o impacto das radiações e das nuvens nos modelos climáticos.

O ARM inclui uma componente essencialmente dirigida à investigação e outra para a área das infra-estruturas, permitindo a obtenção de dados e o acesso a tecnologias de grande interesse para a comunidade científica especializada na concepção e desenvolvimento de modelos climáticos às escalas global e regional.

A Universidade dos Açores, através do Centro de Climatologia, Meteorologia e Mudanças Globais e o Instituto de Meteorologia são os parceiros científicos a considerar neste projecto que conta já com a colaboração de numerosas instituições internacionais.

A colocação de uma estação de observação climática na Graciosa segue-se à decisão da instalação, também nesta ilha, da estação internacional do CTBTO, destinada a monitorizar a realização de ensaios nucleares, à implantação do Observatório Internacional PICO-NARE, no Pico, e à entrada em funcionamento da estação de rastreio de satélites da Agência Espacial Europeia (ESA de Santa Maria, reforçando a estratégia do Governo em garantir o posicionamento de infra-estruturas científicas de interesse internacional nos Açores.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário