segunda-feira, 28 de maio de 2012

Imposição de insígnias autonómicas no Dia dos Açores



O Bispo Emérito de Macau D. Arquimínio da Costa Rodrigues, o escritor Cristóvão de Aguiar, o realizador Zeca Medeiros e o jornalista Mário Mesquita foram quatro das nove individualidades hoje distinguidas com a Insígnia Autonómica de Reconhecimento, a segunda mais importante das insígnias honoríficas dos Açores.

A imposição das insígnias autonómicas teve lugar esta segunda-feira na vila da Povoação, durante a sessão solene comemorativa do Dia da Região, organizada conjuntamente pelo Governo dos Açores e pela Assembleia Legislativa.

Com a Insígnia Autonómica de Reconhecimento foram igualmente reconhecidos José Maria Teixeira Dias (professor), José Renato Medina Moura (antigo deputado regional), Luiz Antônio de Assis Brasil (escritor brasileiro), Ricardo da Piedade Abreu Serrão Santos (biólogo e investigador) e, a título póstumo, Sacuntala de Miranda (socióloga).

É a seguinte a lista completas das 47 personalidades e instituições distinguidas este ano com insígnias honoríficas:

Insígnia Autonómica de Reconhecimento (9):

A Insígnia Autonómica de Reconhecimento destina-se a distinguir os atos ou a conduta de excecional relevância de cidadãos portugueses ou estrangeiros que valorizem e prestigiem a Região no País ou no estrangeiro, ou que para tal contribuam, bem como para a expansão da cultura açoriana ou para o conhecimento dos Açores e da sua história e que se distingam pelo seu mérito literário, científico, artístico ou desportivo.

- Arquimínio Rodrigues da Costa (natural de S. Mateus, ilha do Pico, foi Bispo de Macau entre 1976 e 1998. Foi agraciado em 1984 pelo Governo Português com o grau de Grande Oficial da Ordem de Benemerência, em 1986 com o título de Doutor Honoris Causa em Filosofia pela Universidade da Ásia Oriental de Macau e em 1988 pelo Presidente da República com o grau de Grã-Cruz da Ordem de Mérito.

- José Maria Teixeira Dias (professor, lecionou nas extintas Escola Técnica e Escola do Magistério de Ponta Delgada e também na Universidade dos Açores; foi deputado à Assembleia da República e em Vila Franca do Campo exerceu funções de presidente da comissão administrativa da câmara, de vereador e de deputado à assembleia municipal).

- José Martins de Medeiros (também conhecido por Zeca Medeiros; natural de Vila Franca do Campo, é músico, ator, autor e realizador de televisão; como realizador e guionista, foi responsável por 17 projetos, dos quais se destacam as séries Xailes Negros e o Barco e o Sonho).

- José Renato Medina Moura (deputado regional durante quatro legislaturas e dirigente regional do PSD, primeiro, e, depois, do CDS/PP; durante mais de três décadas dirigiu também o jornal As Flores).

- Luiz Antônio de Assis Brasil (brasileiro de Porto Alegre, é romancista, ensaísta e cronista; tem cerca de duas dezenas de livros publicados, um dos quais aborda a ida de povoadores açorianos para o sul do Brasil e que já passou para o cinema).

- Luís Cristóvão Dias de Aguiar (escritor, natural do Pico da Pedra, é autor, entre outros livros, de Raiz Comovida, Prémio Ricardo Malheiros da Academia das Ciências de Lisboa, Relação de Bordo, Grande Prémio da Literatura Biográfica APE, e Trasfega, Prémio Nacional Miguel Torga).

- Mário António da Mota Mesquita (jornalista e professor, natural de Ponta Delgada, foi Diretor de alguns dos principais jornais nacionais; membro fundador do PS, foi Deputado à Assembleia Constituinte e à Assembleia da República pelo círculo eleitoral de Lisboa; é membro do Conselho Executivo da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento).

- Ricardo da Piedade Abreu Serrão Santos (biólogo e investigador, foi Diretor do Departamento de Oceanografia e Pescas durante 14 anos e é Pró-Reitor da Universidade dos Açores desde 2003).

- Sacuntala de Miranda (a título póstumo; socióloga, natural de Ponta Delgada, deixou publicados vários estudos; a sua empenhada intervenção cívica e política valeu-lhe a prisão e o exílio).


Insígnia Autonómica de Mérito

A Insígnia Autonómica de Mérito visa distinguir atos ou serviços meritórios praticados por cidadãos portugueses ou estrangeiros no exercício de quaisquer funções públicas ou privadas. Tem três categorias.

Insígnia Autonómica de Mérito Profissional (8):

- Adriano Paim de Lima Andrade (a título póstumo; médico, natural da ilha Terceira, foi responsável pela introdução nos Açores da cirurgia laparoscópica).

- Alberto Rodrigues (a título póstumo; engenheiro mecânico, nasceu no Funchal mas ficou ligado a uma longa lista de empreendimentos que concebeu e cuja construção dirigiu por quase todas as ilhas dos Açores).

- Álvaro Graco da Cunha Gregório (médico, natural da Graciosa, foi Diretor do Serviço de Medicina e Presidente do Conselho de Administração do Hospital de Angra do Heroísmo).

- Jorge Garcia Gago da Câmara (a título póstumo; médico, natural de Santa Maria, onde exerceu toda a sua carreira de clínico geral).

- José Leal Armas (a título póstumo; médico veterinário, natural da Terceira, foi o responsável pelo Programa Pecuário dos Açores).

- José Conde (a título póstumo; professor de Oncologia, ocupou vários cargos de prestígio no Instituto Português de Oncologia; em 1989 foi condecorado pelo Presidente da República com o grau de oficial da ordem militar de Santiago de Espada).

- José Gabriel Coelho Gil (médico, natural da Terceira, criou em 1979 o primeiro Serviço de Cardiologia nos Açores, no Hospital de Angra do Heroísmo, do qual foi também diretor).

- Maria Cecília do Amaral e Simas (professora e empresária, fundou em 1972 o Externato Particular da Madalena).


Insígnia Autonómica de Mérito Industrial, Comercial e Agrícola (8):

- Alfredo Pacheco Vieira (empresário, natural da Ribeirinha, concelho da Ribeira Grande, conseguiu em 1948 o primeiro Alvará Industrial para a produção de blocos).

- Augusto Botelho de Sousa Cymbron (empresário, foi eleito em 2006 Presidente da Associação Nacional de Revendedores de Combustível; foi dirigente regional e nacional do CDS).

- Carlos Alberto Noia Rafael (natural do Corvo, é empresário em New Bedford, nos Estados Unidos, onde possui uma unidade de transformação de pescado e uma frota de mais de duas dezenas de navios).

- José da Costa Franco (empresário, natural dos Mosteiros, concelho de Ponta Delgada, é proprietário da Riviera, considerada uma referência no comércio micaelense).

- Manuel Eduardo Vieira (natural da Silveira, concelho de Lajes do Pico, é empresário na Califórnia, onde é considerado o “rei da batata-doce”, produzindo anualmente 50 milhões de quilos daquele tubérculo).

- Manuel Joaquim Costa Leite (a título póstumo; fundou na Ribeira Grande a fábrica de leite que hoje ostenta o nome Fromagerie Bell; foi Presidente da Associação Nacional das Indústrias de Laticínios).

- Costa & Martins, Lda. (empresa faialense, fundada em 1912).

- Fundação Rebikoff-Niggeler (instituição sem fins lucrativos sedeada no Faial, atua na área da produção de filmes científicos e na investigação;  é proprietária do Lula, o único submarino científico a operar em Portugal).

Insígnia Autonómica de Mérito Cívico (19):

- Carlos Alberto de Menezes Moniz (natural da Terceira, é músico, cantor, compositor, encenador e apresentador).

- Fernando Cabral Teixeira (padre, natural de São Pedro do Nordestinho, concelho de Nordeste; foi ordenado sacerdote há 50 anos e é responsável pela Casa do Gaiato desde 2006).

- João Ângelo de Oliveira Vieira (cantor e improvisador popular, natural de S. Bartolomeu dos Regatos, Terceira).

- José Orlando de Noronha da Silveira Bretão (a título póstumo; advogado, natural de Angra do Heroísmo, envolveu-se no mundo do teatro e na pintura com várias coleções públicas e privadas e foi destacado membro das principais acadeemias terceirenses).

- Manuel António de Melo Pimentel (a título póstumo; padre, natural das Furnas, São Miguel, lançou na Diocese de Angra as “sementes” do Movimento de Apostolado de Adolescentes e Crianças; a sua ação pedagógica teve também forte influência em várias gerações de sacerdores e em diferentes movimentos católicos de leigos).

- Manuel Barbosa (a título póstumo; advogado e professor, natural de Ponta Delgada, ilha de São Miguel, fundou e dirigiu o Externato Ribeiragrandense, que durante 25 anos foi o único estabelecimento de ensino secundário na Ribeira Grande).

- Mário Machado Fraião (natural da Horta, está ligado ao teatro amador, ao cinema e à poesia; foi cofundador e diretor do semanário Tribuna das Ilhas).

- Max Brix Elizabeth (a título póstumo; natural de Santa Maria, deixou o seu nome ligado à fotografia, tendo participado ativamente na vida social, cultural e política da ilha; foi sócio-fundador e presidente da Associação Cultural Maré de Agosto).

- Associação Faialense de Bombeiros Voluntários (com sede na Horta, foi fundada há 100 anos).

- Clube Juvenil Boa Viagem (com sede na freguesia da Conceição, concelho de Angra do Heroísmo, ganhou notoriedade sobretudo na prática do basquetebol feminino, modalidade em que já foi campeã nacional).

- Clube Vasco da Gama da Bermuda (clube fundado em Hamilton, em 1935, tem como objeto principal o desenvolvimento e preservação da língua e cultura portuguesa).

- Federação dos Bombeiros dos Açores (fundada em 1988, congrega todas as associações de bombeiros e entidades públicas, sociais e privadas que mantêm corpos de bombeiros no arquipélago).

- Grupo de Teatro A Jangada (fundado em Santa Cruz das Flores em 1981, este grupo de teatro já contou com a participação de 200 atores amadores).

- Judo Clube de São Jorge (fundado em 2002, conta atualmente com cerca de 120 atletas, alguns campeões nacionais).

- Kairós, Cooperativa de Incubação de iniciativas de Economia Solidária, CRL (foi fundada em 1985 com o objetivo de incubar empresas de economia solidária dirigida a pessoas em situação de pobreza e esxclusão social; já formou cerca de 1.600 pessoas e emprega atualmente 90).

- Santa Casa da Misericórdia de Vila Franca do Campo (fundada por volta de 1552, mantém desde essa altura atividade ininterrupta; serce cerca de 600 utentes e conta com um quadro de 104 colaboradores).

- Santa Casa da Misericórdia do Nordeste (fundada há 100 anos, serve cerca de 400 utentes e possui uma escoa profissional).

- Sociedade Filarnmónica Euterpe de Castelo Branco (com sede na freguesia de Castelo Branco, foi fundada há 100 anos; possui também um grupo etnográfico).

- Sociedade Filarmónica Marcial Troféu da Povoação (com sede na vila da Povoação, foi fundada há 100 anos).


Insígnia Autonómica de Dedicação (3):

- Gui Heber Bettencourt Louro (a título póstumo; natural da Graciosa, foi Presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa e deputado à Assembleia Regional).

- José Garcia (a título póstumo; padre, natural do Salão, ilha do Faial; deixou o seu nome ligado à reconstrução da Sé Catedral de Angra e à construção da Igreja de Nossa Senhor da Fátima do Lajedo, em Ponta Delgada).

- Rubens de Almeida Pavão (natural de Ponta Delgada, São Miguel, exerceu funções docentes e administrativas em escolas e delegações escolares dos concelhos de Ponta Delgada e Ribeira Grande; foi também presidente da Cáritas dos Açores).


GaCS

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário