segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Presidente do Governo anuncia novo resgate leiteiro no valor de 4 milhões de euros



Um resgate leiteiro para este ano e para o próximo no valor de 4 milhões de euros, soluções para os lavradores em maiores dificuldades que serão objecto de um levantamento, o arranque em breve do Parque de Exposições da Associação Agrícola de São Miguel e a sintonia de posições quanto ao aumento do preço do leite ao produtor foram os principais resultados da audiência que Carlos César concedeu hoje no Palácio de Santana à Federação Agrícola dos Açores.

Para o Presidente do Governo “não há duvida que na economia em geral e também no sector agrícola, existem dificuldades que advêm sobretudo do aumento de alguns custos de produção, que se repercutem numa economia agrária como a dos Açores que é assente na fileira do leite. Assim sendo, é fundamental o preço do leite pago ao produtor seja minimamente compensador do aumento desses custos. E nós estamos agora numa fase em que essa compensação não é feita por inteiro, daí resultam dificuldades acrescidas para as explorações leiteiras. Mas é preciso ter em conta também que essas dificuldades são sobretudo acrescidas para um universo de produtores e de explorações agrícolas., que têm na maior parte dos casos problemas que têm a ver com ou com falta de qualidade na produção ou com falta de dimensão e escala na sua produção, ou com investimentos que foram mal avaliados”.

Em declarações aos jornalistas no final do encontro, Carlos César garantiu que o Governo tem para esses efeitos vários tipos de soluções.” No caso daquelas explorações que fizeram investimentos que não deviam e que estão desequilibradas, temos de avaliar em cada caso se vale a pena ajudá-las através de linhas de reestruturação financeira e de desendividamento, ou pura e simplesmente se essa empresas devem abandonar o mercado. Nas restantes é fundamental continuar a induzir na estrutura agrária regional dimensão e qualidade. E a forma de o fazer é sobretudo através de instrumentos como os regastes, para além de outros como o do financiamento da compra de terras por rendeiros, da mecanização e da formação em geral”.

Para o Presidente do Governo, “nós estamos empenhados em todas essas áreas em fazer um grande esforço, por exemplo através do resgate, e portanto estamos a intervir do ponto de vista estrutural na defesa da economia do sector”.

No que diz respeito à diligência concreta sobre o preço do leite, o Presidente do Governo, acompanhado neste encontro pelo Secretário Regional da Agricultura e Florestas, Noé Rodrigues, entende que “ é possível e que é desejável que a indústria corresponda a este esforço que está a ser feito de melhoria de qualidade e de produção por parte dos nossos produtores de leite na Região. E entendemos que era importante que se procedesse a um aumento intercalar independentemente da sazonalidade que é praticada nos preços e que melhorasse a posição em geral dos nossos produtores do ponto de vista do seu rendimento. Estamos convencidos que a indústria o compreende, estamos também a desenvolver diligências no sentido deste diálogo entre os produtores e os industriais seja um diálogo mais fecundo e com melhores consequências, estamos também esperançados de que na negociação e na concertação que a nível nacional decorre, incluindo também as redes de distribuição, que têm sede nacional, possam transmitir outro enquadramento para que também na Região o preço do leite possa ser melhorado por via desse impulso da negociação a nível nacional”.

"O que é importante que se saiba", acrescentou Carlos César, "é que a Federação Agrícola dos Açores e o Governo Regional actuam com uma cumplicidade que é importante na defesa da fileira do leite, na defesa do rendimento dos produtores e na reestruturação do nosso sector agrícola que tem sido sucessivamente fortalecido do ponto de vista estrutural. A dimensão média das explorações, a qualidade das produções, têm tido avanços extraordinários nestes últimos anos, sem os quais a nossa estrutura agrícola não teria podido resistir da forma como está a resistir, às situações de dificuldades no mercado internacional que são de todos conhecidas".



GaCS/ SF
Publicado por: Jorge Gonçalves

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário