terça-feira, 5 de maio de 2009

Reduções nas tarifas aéreas inter-ilhas



O Governo Regional definiu uma redução do tarifário aéreo inter-ilhas, para vigorar a partir do mês de Outubro próximo e pelos próximos cinco anos, em que as chamadas Ilhas da Coesão beneficiarão de uma redução de cerca de 17% e as restantes ilhas, em que se inclui o Pico, de cerca de 15%.

O anúncio foi feito hoje, pelo próprio presidente do Governo, no momento em que era lançada a primeira pedra de importantes obras de requalificação do aeroporto do Pico, e continha outras medidas no âmbito da redução de tarifas.

Assim, é criada uma nova tarifa, direccionada às famílias numerosas, com um desconto de pelo menos 20% sobre a tarifa de residente. As tarifas promocionais para residentes, com restrições, que começaram a ser praticadas no período de 1 de Setembro de 2008 a 31 de Maio de 2009, serão alargadas a todo o ano, com um desconto que, no mínimo, será de 30% sobre a tarifa de residente.

Carlos César acrescentou que, não esquecendo as muitas famílias açorianas que têm os filhos a estudar noutra ilha, o Governo dos Açores vai proceder à indexação do desconto de estudantes à tarifa de residente, em vez da tarifa normal económica.

Isso terá como resultado uma redução saliente da tarifa de estudante, passando a verificar-se que, por exemplo, o preço de viagem de ida e volta de um jovem residente nas Flores e a estudar na Horta, ou residente na Graciosa e a estudar na Terceira, que actualmente é de 64 euros, será de 42 euros, ou seja, menos 34%, aproximadamente.

Também vai alterações no que respeita à carga aérea. Foram aumentadas as capacidades mínimas por rota e estabelecidas prioridades para medicamentos e outros bens relacionados com a prestação de cuidados de saúde e, ainda, produtos perecíveis, como pescado, fruta ou flores.

Salientando que todas essas alterações representam um grande esforço, quer do Governo quer da SATA – cuja Administração voltou a elogiar – Carlos César congratulou-se com os melhoramentos que vão ser introduzidos no aeroporto do Pico: a requalificação ambiental de uma área envolvente intervencionada para a instalação do ILS/DME e a construção da estrutura destinada a apoiar o funcionamento das operações logísticas aeroportuárias.

As obras vão custar cerca de um milhão de euros, que se juntarão aos vinte e quatro milhões já investidos, desde 2002, naquele aeroporto, possibilitando novas capacidades e melhor resposta ao volume de tráfego, que, desde 2002, subiu 22 por cento em passageiros e 50 por cento em carga.

Afirmando que “eficiência e competitividade são, sem dúvida, requisitos para o serviço público de transportes aéreos dos Açores, quando se adensam as dificuldades e os desafios para todas as companhias aéreas em quase todos os lugares”, o presidente do Governo referiu que a renovação da frota da SATA AIR AÇORES é uma das respostas que a esses desafios.

Os novos aparelhos, Dash Q200 e Q400, “com melhores desempenhos, quer no que se refere ao número de passageiros incluídos, quer ao transporte de carga, serão, seguramente, um passo em frente muito relevante na modernização, economia e eficiência do transporte aéreo na Região e na resposta a vários problemas persistentes nesse âmbito”, concluiu Carlos César.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário