quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Obras no Museu da Graciosa projectadas para criar dicotomia entre tradição e modernidade



O Governo dos Açores encara as obras de ampliação do Museu da Graciosa, recentemente adjudicadas por cerca de um milhão de euros, como uma intervenção desenhada para criar uma “dicotomia entre a tradição e a modernidade”.

Em articulação com o edifício existente, as novas formas arquitectónicas, marcadas pela volumetria, “criam uma dicotomia entre a tradição e a modernidade, num conjunto coerente e harmonioso”, grante o Executivo de Carlos César, na resposta a um requerimento parlamentar sobre o empreendimento.

O projecto de construção da nova estrutura do Museu da Graciosa teve por base o propósito de “marcar a diferença através de um objecto arquitectónico com clara qualidade artística e impacto visual pela sua forma contemporânea”, pretendendo-se que se “destaque em relação ao edifício existente e a toda a sua envolvente” e que constitua um “marco do presente século para o futuro”, alega o Governo.

Segundo acrescenta, tendo por base a ideia de que a “arquitectura deve ser entendida como um acto cultural criativo”, o Executivo entendeu que a opção adoptada se revela a “mais adequada “ para a esse programa de ocupação a implantar na zona classificada de Santa Cruz da Graciosa.

Adjudicadas à empresa Edifer Construções, no quadro de um projecto de arquitectura de Mariana Godinho, as obras de ampliação do Museu da Graciosa permitirão aumentar as respectivas instalações de 376 para 549 metros quadrados.

A cultura da vinha, uma actividade tradicional da Graciosa, continuará a constituir o centro privilegiado do projecto museológico da instituição, que abriu em 1983 como casa etnográfica.


terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Museu da Graciosa celebra Ano Novo com dois concertos de coros



O Museu da Graciosa promove, a 10 e 11 de Janeiro, dois concertos de coros destinados a celebrar o Ano Novo.

No primeiro desses concertos - dia 10 às 20 horas na Igreja de S. Mateus - actuam os coros de S. Mateus e da Senhora do Guadalupe.

No dia seguinte, às 18 horas na Igreja da Luz, estão previstas actuações dos coros da Senhora da Luz e de Santa Cruz.

Em Janeiro, o Museu da Graciosa vai manter, por outro lado, em funcionamento nas instalações da Associação Cultural, Desportivo e de Recreio da ilha um atelier sobre informática e a oficina “Velho e Novo”.

Além disso, no polo do Museu na Praia estará patente a exposição “A Madrugada das Cagarras”.


quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Mensagem de Natal do presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César




Chegou o Natal – a Festa de todas as celebrações. Com o simbolismo do nascimento de Jesus, celebramos o começo. É o Natal e, com ele, o Ano Novo. É a Vida e a Esperança, uma após outra, numa reciprocidade de sentido.

É o tempo de todas as proximidades: a comunidade mais remota e os sofrimentos do planeta alcançam, como por magia, uma inusitada vizinhança que nos sensibiliza e espanta. Renovamos a atenção pelos vivos: temos outra inquietude perante as injustiças e sentimos com mais força a saudade motivada pela ausência de companheiros, de amigos e de familiares. A infelicidade dos outros alerta as nossas propensões solidárias e, nós próprios, procuramos, mais do que nunca, o lugar da nossa felicidade.

No Natal, reunimos na família, na memória, ou simplesmente, no desejo, os nossos laços de pertença afectiva; somos, ou lembramo-nos de que devíamos ser, mais fraternos.

Se o Natal apela ao balanço das nossas vidas e à sua ligação com as vidas dos outros, a aproximação do novo ano é, de modo sucedâneo, o momento prometedor. É o tempo de renovo, que favorece a ideia de uma nova vida e de um novo ponto de partida. Mobilizam-se, assim, os desejos e os projectos, e retemperamos as nossas energias construtivas.

É claro que devia ser assim o nosso dia-a-dia. Mas não é, infelizmente. Nem uns vivem em conforto material e espiritual nesta época, nem outros mudam a sua forma negativa de estar e de ver o mundo, e outros, ainda, não encontram o ânimo e a oportunidade para recuperar e melhorar.

A actual crise financeira e económica internacional atrasa e compromete desenvolvimentos positivos. A pobreza e o depauperamento, pelo contrário, avançam em países inteiros e em continentes com populações famintas e dizimadas. A gula do banqueiro e a usura dos senhores da guerra prolongam-se face à fraqueza da regulação internacional e dos sectores. Já vivemos tempos melhores. Todos esperamos, ainda assim, que as consequências e as vítimas de tudo isso sirvam para despertar novas consciências e novos caminhos.

Porque o mundo pode e deve ser melhor, está ao alcance dos homens e das mulheres a procura dessa nova dimensão ética reabilitadora das relações económicas e sociais. Tenho uma forte convicção na superação das actuais dificuldades, que também já chegaram aos Açores – embora, felizmente, de forma incomparavelmente mais ténue.

Estamos a tomar medidas na nossa Região para proteger as nossas famílias e o emprego dos nossos concidadãos, e estimo que tudo irá correr bem.

Na sociedade globalizada em que vivemos é cada vez mais difícil escapar a crises com a extensão da actual, que abala países tão ricos como os Estados Unidos, tão próximos como os países europeus, ou tão influentes na nossa economia como o continente português. Mas, mesmo assim, vamos conseguir minorar esses efeitos mais negativos. Não deixaremos de ter problemas, como sempre os tivemos, mas vamos ter e somar sucessos, como também tem acontecido.

É com esse espírito positivo que devemos passar este Natal. Quanto mais vejo o que se passa por toda a parte, mais tenho a certeza de que os Açores são um bom lugar para se viver. Sei que é difícil, para quem tem um desgosto ou vive no sobressalto e no desconforto, ter, incólumes, essa fé e essa esperança. Mas é dessa forma voluntariosa que ajudamos e que nos deixamos ajudar melhor. Vamos todos, pois, ser mais unidos e professantes na esperança. Vamos aproveitar a mensagem do Natal.

Oxalá as festas de Natal, deste nosso povo inteiro, sejam felizes, onde quer que residam e onde quer que estejam: no Canadá, até à longínqua Kitimat; nos Estados Unidos, desde Massachussets e Rhode Island até às terras da Califórnia; nas Bermudas, ao lado da cor do seu mar; no Brasil, onde hoje dirigimos um abraço solidário aos que foram atingidos pelos temporais na terra irmã de Santa Catarina; no continente português, onde habitam milhares de naturais dos Açores, e nas nossas ilhas – nas Flores, no Corvo, em São Jorge, no Faial, no Pico, na Graciosa, na Terceira, em São Miguel e em Santa Maria. Dirijo, igualmente, os mesmos desejos aos que, não tendo nascido nos Açores, aqui trabalham e aqui vivem como açorianos de adopção.

Boas Festas e um Ano Novo cheio de felicidades.





GaCS

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Funcionários com dois dias de tolerância de ponto no Natal e Ano Novo



Os funcionários e agentes da Administração Regional dos Açores vão beneficiar de dois dias de tolerância de ponto no período de Natal e Ano Novo, um a 24 de Dezembro e outro a 26 Dezembro ou a 2 de Janeiro.

A decisão de dispensa dos funcionários açorianos consta de um despacho do presidente do Governo, Carlos César e fundamenta-se na tradição de concessão de tolerância de ponto nas festividades em que as comunidades cristãs evocam o nascimento de Cristo.


Portáteis Magalhães para as crianças da Graciosa


Distribuição do computador Magalhães nas escolas açorianas a partir de Janeiro

Os governos da República e dos Açores chegaram quarta-feira a acordo sobre o arranque, em Janeiro, do processo de introdução de computadores da marca Magalhães nas escolas açorinas do primeiro ciclo.

A distribuição dos novos equipamentos pelas crianças dos estabelecimentos escolares da Região será acompanhada da realização de acções de formação dos professores sobre a sua utilização, conforme ficou estabelecido num encontro, em Lisboa, entre a secretária regional da Educação e Formação, Lina Mendes, e o secretário de Estado Adjunto das Obras Públicas e das Comunicações, Paulo Campos.

As inscrições para o programa Magalhães estão abertas, sendo efectuadas na escola através do professor titular de turma.


quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Preços das gasolinas e fuel baixam sexta-feira


O Governo Regional dos Açores decidiu baixar, a partir das zero horas de sexta-feira, em três e um cêntimo por litro, os preços das gasolinas de 95 e de 98 octanas, respectivamente.

A gasolina 95 passa a ser vendida 1,1 euros, baixando a de 98 para 1,16 euros.

A partir de sexta-feira baixa também, em dois cêntimos, o preço do fuel, que passa a ser vendido a 40 cêntimos por quilograma.

A redução nos preços destes combustíveis visa manter a política de preços que tem vindo a ser praticada na Região, fazendo, sempre que tal se justifique, reflectir no consumidor final as variações ocorridas no preço do petróleo no mercado internacional.


terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Museu da Graciosa celebra 25.º aniversário no próximo sábado



O Museu da Graciosa assinala, sábado, o seu 25.º aniversário com uma cerimónia oficial cujo programa inclui o lançamento do selo comemorativo e uma conferência subordinada ao tema “Os Açores na Rota de Vieira”.

A iniciativa, orientada pela professora Isabel Almeida, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, está agendada para as 18:30 horas na sede do Museu.

As celebrações da efeméride, que contam com o apoio da autarquia local, incluirão igualmente um concerto de canto e piano com Francisco Lobão e Fábio Mendes, às 21:30 horas, no centro Cultural da Graciosa.

Na sexta-feira, o serviço educativo do museu efectua uma acção de sensibilização com o clube de filatelia “O Ilhéu” da Escola Secundária Manuel de Arriaga, da Horta, coordenada pelo professor Carlos Lobão.

A agenda cultural de Dezembro inclui ainda um encontro de Natal, dia 14, pelas 21 horas no Centro Cultural, com a participação dos quatro coros e do rancho de Natal de Guadalupe.


GaCS

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Preço do gasóleo rodoviário baixa dois cêntimos a partir da meia noite



O preço do gasóleo rodoviário volta a baixar nos Açores a partir da meia noite de hoje, passando a ser vendido a 91 cêntimos o litro.

A redução no preço de venda deste tipo de combustível, decidida pelo Governo, está associada às variações do valor do petróleo no mercado internacional.


GaCS