segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Museu da Graciosa recebe como peça do mês um piano vertical dos finais do século XIX


Museu da Graciosa recebe peça do mês um piano vertical dos finais do século XIX

Fabricante: Tolkien`s Royal M. Piano-Forte, Londres
Data de fabrico: finais do século XIX
Madeira, marfim, ferro e cobre
A 115 x C 133 x L 67 cm

Proveniência: doado pelos herdeiros de Judite de Lourdes Ramalho Ávila Bettencourt, Angra do Heroísmo, no ano de 1999. Anteriormente pertenceu à mãe de Judite Bettencourt, Rosalina Ávila, Luz, Ilha Graciosa

Restaurado por Agostinho Espínola, sob a orientação do Diretor do Museu da Graciosa
Inventário: MG 8860

Piano vertical de marca “Royal Minuto Piano Forte”, constituído por bastidor, tábua harmónica, cordas em fio de aço, pedal e teclado com teclas brancas em marfim e teclas pretas em ébano.

O piano surgiu no século XVIII, em Florença, Itália, e rapidamente afirmou-se como instrumento rei, dominando mais de três séculos. Era o único capaz de substituir uma orquestra e trazer a música sinfónica, em reduções, para os salões de festa e de baile.

De longa data, o gosto pela música e de aprender a tocar piano esteve presente nos graciosenses. Nesta ilha, vamos encontrar em todas as freguesias muitos pianos e várias pessoas que ensinavam música e a tocar piano, cabendo a estas a tarefa de acompanhar o canto nas celebrações religiosas, animar os serões familiares e dos clubes graciosenses. Felizmente, nos nossos dias, o gosto pela aprendizagem e pelo tocar piano continua a manifestar-se, principalmente junto dos mais jovens.

Ainda hoje são lembradas muitas das pessoas que incentivaram o gosto pela aprendizagem do piano, destacando-se Palmira Mendes Enes, Maria Carmina, Mimi Tristão, Maria de Lourdes Moniz, Victor Silva, Nizalda Barcelos, Laura Silva, Nazaré Silva, Judite Dores, entre outras.


Fonte: Museu da Graciosa

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pelo vosso comentário